SpaceX realiza com sucesso seu primeiro lançamento com astronautas a bordo

SpaceX
SpaceX Falcon 9 - Foto: REUTERS/Joe Skipper

A SpaceX conseguiu cumprir com sucesso o lançamento da cápsula Dragon Crew, utilizando para isso um foguete reutilizável Falcon 9 Block 5, em uma missão que durou aproximadamente 24 horas.

Nesta primeira missão da empresa transportando astronautas, a SpaceX atingiu todos os marcos possíveis, inclusive recuperando o primeiro estágio do F9.

O lançamento foi realizado neste sábado, às 16h22 (horário de Brasília), quando o foguete Falcon 9 ligou os motores e rapidamente ultrapassou Mach 1.

Pouco antes da decolagem, Hurley disse: “SpaceX, vamos lançar. Vamos acender esta vela”, parafraseando o famoso comentário proferido na plataforma de lançamento em 1961 por Alan Shepard, o primeiro norte-americano a voar para o espaço.

Minutos depois o foguete pousou com sucesso o seu primeiro estágio em uma balsa, no meio do Oceano Atlântico.

Desde então, após entrar em órbita (aproximadamente a 200 km de altura), a cápsula Dragon Crew, com os astronautas a bordo, seguiu uma série de procedimentos automáticos para fazer a órbita de transferência que possibilita o acoplamento na Estação Espacial Internacional (ISS).

E pouco menos de 19 horas após o lançamento da Flórida, a cápsula do Crew Dragon da SpaceX carregando os astronautas da Nasa Bob Behnken e Doug Hurley se acoplou à Estação Espacial Internacional neste domingo, próximo das 12h22 (horário de Brasília), marcando a primeira cápsula espacial dos EUA a realizar o feito com uma tripulação desde 2011.


Além de ser o primeiro voo da cápsula com astronautas, é o primeiro desde 2011 a transportar tripulantes decolando dos EUA.

O último lançamento de um Space Shuttle ocorreu em 2011, quando o Atlantis subiu pela última vez ao espaço, marcando a missão STS-135, a última de 135 missões com o Space Shuttle, infelizmente duas com falhas que levaram à fatalidades.

A NASA então estava na mão dos russos, um terror que os EUA não poderiam pensar no início do século.

Na época o futuro espacial dos Estados Unidos parecia algo sombrio, com poucas expectativas de criar um lançador reutilizável e barato, visto que o principal foguete na época, da ULA, era descartado após o lançamento, e o programa SLS não previa um foguete reutilizável (fora ter um lançamento extremamente caro para missões à ISS).

Space Shuttle com seus 2 boosters em funcionamento.

Pouco tempo depois a SpaceX, de Elon Musk, surgiu como uma opção mais barata de lançamento, e após firmar um contrato com a NASA, a empresa de Elon Musk começou a transportar cargas para a Estação Espacial Internacional (ISS), com sua cápsula Dragon Cargo.

Desde então a SpaceX utilizou seu know how, que ainda estava sendo construído, para treinar, e treinar, e treinar mais ainda, diversos métodos de lançamento e recuperação dos estágios de um foguete.

Em uma típica missão com cápsulas, a SpaceX atualmente só não recupera o 2º estágio do foguete Falcon 9, mas o imenso primeiro estágio pousa inteiro no mar ou em terra, e a cápsula recorre ao método tradicional de recuperação no oceano. Cerca de 90% da estrutura é recuperada neste caso.

O grande destaque da cápsula Dragon Crew é manter um cronograma de desenvolvimento mais “adiantado” em relação à CST-100 da Boeing, pela metade do preço. Isso antecipa o cronograma da NASA, de forma que tenha uma menor dependência da Rússia no lançamento de astronautas.

 

Você pode conferir a transmissão ao vivo (que está até este momento ocorrendo), no vídeo abaixo:

 

DEIXE UMA RESPOSTA