A SpiceJet foi a primeira companhia que recebeu o mais novo avião turboélice de 90 assentos, uma adaptação da Bombardier para o Q400, já conhecido no mercado.

A companhia espera receber mais 25 aviões com essa configuração nos próximos anos.

O grande diferencial da aeronave é que o aumento da capacidade de passageiros permite uma redução de 15 por cento do custo de operação, em comparação com a aeronave Q400 com o padrão anterior.

Além disso o novo Q400 compartilha a mesma plataforma da versão de 78 assentos, melhorando a flexibilidade do jato para as companhias que já utilizavam a outra versão.

A Bombardier ainda fez um esforço para melhorar os custos de operação do novo Q400. De acordo com a fabricante, a capacidade de carga foi aumentada em 900 kg, algo suficiente para transportar os doze passageiros a mais sem atrapalhar o payload final.

A fabricante ainda conseguiu uma maior confiabilidade mecânica, e diminuiu o intervalo entre manutenções. Agora o Check A será realizado a cada 800 horas de voo, antes era com 600 horas, e o Check-C agora será realizado a cada 8000 horas de voo, antes era com 6000 horas. Isso diminui o tempo que a aeronave fica parada em solo para manutenção, e também a quantidade de mecânicos para atender a frota.

Todos esses esforços da Bombardier são para se destacar novamente no ramo de 50 a 100 assentos, algo que a companhia foi perdendo aos poucos nos últimos anos, devido aos aviões da Embraer e ATR.