Um F/A-18F Super Hornet do VFA-106 taxiando em NAF El Centro em 25 de março, dias após o incidente com uma aeronave semelhante e do mesmo esquadrão. Foto: Drew Verbis/US Navy via The Aviationist.

Um F/A-18F Super Hornet da Marinha dos EUA (US Navy) sofreu danos graves na fuselagem após colidir com um pássaro no dia 22 de março. Ninguém ficou ferido e os tripulantes conseguiram pousar a aeronave em segurança. 

O evento ocorreu durante um treinamento de voo em baixa altura. Ao sentirem o impacto, os tripulantes do caça biplace, pertencente ao esquadrão de caça e ataque VFA-106 Gladiators, decidiram voltar para a base de El Centro, na California.

Segundo o Military.com, uma inspeção revelou graves danos na entrada de ar e no motor do lado direito. O Centro de Segurança Naval classificou o acontecido como um “Incidente Classe A.”

Incidentes Classe A envolvem danos superiores a US$ 2.5 milhões, perda total de uma aeronave e a morte ou invalidez permanente de um ou mais indivíduos. Cabe destacar que esta ainda é uma classificação preliminar, podendo ser reduzida mais tarde.

F/A-18F Super Hornet do VFA-106 Gladiators pousando no USS George H. W. Bush (CVN 77) em abril de 2013. Foto via Seaforces.org.

“Estamos vendo isso como um acidente de Classe A, no entanto, uma investigação irá determinar a causa do incidente e o nível de dano sofrido” disse o Tenente-Comandante Robert Myers, oficial de relações públicas da US Navy. 

Nessa mesma semana a US Navy reduziu um incidente com um F-35B de Classe A para Classe C (onde a aeronave sofre danos avaliados entre US$ 60 mil e US$ 600 mil).

No dia 12 de março, um F-35B do Corpo de Fuzileiros Navais sofreu danos depois que uma munição de 25mm explodiu logo após ser disparada pelo próprio caça. Apesar de ter recebido a classificação mais grave, a US Navy acabou rebaixando o mesmo para Classe C.

F-35B disparando o canhão GAU-22/A montado no pod GPU-9/A. Foto: Dane Wiedmann/Lockheed Martin.

Até o momento, a Marinha não deu mais detalhes sobre os dois incidentes.