Swiss anuncia que irá receber € 1,2 bilhão de ajuda do governo

Foi anunciado nesta última quarta-feira (29/04) que a Swiss havia garantido 1,2 bilhão de euros (US$ 1,31 bilhão) em empréstimos garantidos pelo Estado para suas duas subsidiárias domésticas, a SWISS e a Edelweiss, para ajudá-las na crise de liquidez causada pelo COVID-19.

O governo estimou que as necessidades de liquidez da SWISS e da Edelweiss totalizariam US$ 1,54 bilhão (CHF 1,5 bilhão) até o final de 2020.

O Conselho Federal da Suíça declarou que o apoio financeiro estava sujeito a condições estritas. Primeiramente, afirmou que garantias suficientes devem estar disponíveis. Além disso, os fundos devem ser utilizados apenas para a infraestrutura da Swiss, sem saídas para as empresas-mãe localizadas no exterior. 

O conselho também disse que os ganhos futuros de ambas as subsidiárias devem ser priorizados para reembolsar o auxílio recebido e que dividendos e outros pagamentos serão proibidos até que isso seja feito.

Foto – Swiss

O governo também disse que não estava buscando uma participação acionária nas companhias aéreas como parte do pacote financeiro. No entanto, os empréstimos seriam garantidos por ações da SWISS e da Edelweiss.

Os empréstimos devem ser pagos por um consórcio de bancos suíços, informou a Lufthansa em comunicado e serão concedidos a taxas de mercado por um período de até cinco anos de pagamento. Esses empréstimos ainda estão sujeitos à aprovação do parlamento suíço.

O governo também anunciou ajuda financeira para empresas relacionadas à aviação, afirmando que, para retomar as operações de voo, as companhias aéreas dependem dos serviços que prestam nos aeroportos nacionais. O estado planeja gastar aproximadamente US$ 1,95 bilhão (CHF 1,9 bilhão) para isso, embora ainda esteja pendente uma decisão favorável do parlamento suíço.


O setor de aviação é uma infraestrutura economicamente críticaUma interrupção de longo prazo nas conexões internacionais da Suíça resultaria em perdas econômicas substanciais”, disse o governo.

Em uma conferência de imprensa em Berna, a ministra dos Transportes, Simonetta Sommaruga, explicou que a aviação fazia parte da infraestrutura crítica do país, responsável pelo transporte de um terço das exportações da Suíça, enquanto um sexto das importações também chega por via aérea.

Antes da interrupção causada pelo COVID-19, a IATA informou que a indústria apoiava 207000 empregos e contribuía com CHF 27,7 bilhões (US$ 28,5 bilhões) à economia, que representava 4,1% do PIB da Suíça.

 

DEIXE UMA RESPOSTA