Foto - Divulgação

A Swissport firmou parcerias institucionais com a Aduaneiras e com o Sindicomis para oferecer cursos sobre transporte aéreo de artigos perigosos, incluindo material radioativo, substância biológicas e infectantes. O foco é levar informação sobre transporte de artigos perigosos aos agentes de carga e aos exportadores. A Swissport é certificada junto à ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e à IATA (International Air Transport Association) para oferecer cursos de capacitação nesta área.  

A Aduaneiras ofereceu só ano passado mais de 24 mil cursos para empresas exportadoras de carga, enquanto o Sindicomis (Sindicato dos Comissários de Despacho, Agentes de Carga e Logística do Estado de São Paulo) agrega os maiores agenciadores de carga aérea do país. 

Foto – Divulgação

Os treinamentos são fundamentais para eliminar riscos com a preparação da carga, empacotamento, manuseio, armazenamento, movimentação e transporte de cargas contendo substâncias perigosas. “Ao não declarar um artigo perigoso da forma apropriada, o expedidor coloca em risco não apenas a segurança operacional e os bens embarcados na aeronave, mas também a vida das pessoas e o meio ambiente”, ressalta Flavio Monteze, Chefe da divisão de treinamentos da Swissport para a América Latina e Caribe. 

De acordo com o especialista, um dos elementos-chave da segurança do voo, em caso de algum incidente a bordo que envolva os artigos perigosos, é a ação da tripulação. “Se uma substância perigosa não for declarada adequadamente, a tripulação não receberá o código de resposta a emergências apropriado e suas ações, em caso de emergência a bordo, poderão demorar mais que o esperado”, disse Monteze. 

Foto – Divulgação

Todos os profissionais envolvidos com o transporte aéreo de carga ou de passageiros devem passar por treinamento e a proposta do curso é aprimorar a conscientização desses profissionais sobre restrições operacionais, instruções de embalagem e outros aspectos regulatórios, bem como fazer com que os participantes adquiram habilidades para classificar, identificar, preparar, documentar, manusear e processar remessas contendo artigos perigosos, de acordo com os requisitos nacionais e internacionais.

Monteze explica que, para que os temas sejam abordados de forma mais específica, foram estabelecidas pelos órgãos reguladores, distintas categorias profissionais que incluem desde o expedidor de carga e as agências de carga aérea ou agentes consolidadores de carga até os funcionários contratados pelas empresas aéreas (incluindo os operadores dos Terminais de Carga Aérea).

Outro diferencial dos cursos oferecidos pela Swissport é que o participante, quando aprovado, terá seu certificado registrado junto à IATA. Isso porque há uma parceria de treinamento entre a Swissport e a IATA que autoriza ministrar cursos usando material próprio e fornecer um certificado endossado pela IATA, internacionalmente reconhecido. “Existem muitos centros de instrução de artigos perigosos no Brasil. Entretanto, muito poucos são acreditados pela IATA, a Associação Internacional dos Transportadores Aéreos”, destaca Monteze