TAAG

O presidente executivo da companhia aérea estatal angolana TAAG, Eduardo Fairen Soria, declarou que a empresa deverá iniciar em breve o processo de privatização, para atingir o objetivo de administração privada em 2023 ou 2024.

Além disso, a companhia aérea deve ganhar novas aeronaves, com foco em renovar a frota e reduzir os custos operacionais. Para isso, a Boeing deverá fornecer 14 novos aviões para a companhia.

Soria não apresentou mais detalhes sobre a renovação de frota, e os aviões encomendados. Atualmente a empresa tem 17 aviões em operação, e provavelmente a renovação se concentrará nos aviões Boeing 737NG e 777-200.

“A TAAG tem que se atualizar e competir como qualquer outra empresa”, disse Soria. “A TAAG está imersa num processo de mudança estratégica, focada na expansão da rede de destinos e maior presença internacional”.

De acordo com o presidente da TAAG, há grandes empresas interessadas na maior companhia aérea de Angola, contudo, os processos formais para privatização ainda não foram iniciados.

A companhia realiza voos com seis frequências semanais entre Luanda (Angola) e São Paulo – Guarulhos.

 

Com informações da Agência Lusa.