TAP classifica auxílio estatal como “insuficiente”, e pode não pagar no prazo indicado

O secretário de Estado do Tesouro de Portugal, Miguel Cruz, declarou nesta última terça-feira (23/06) que a TAP Air Portugal solicitou um auxílio estatal maior que o previsto.

No geral o Governo Português reservou uma quantia de 1,2 bilhões de euros para a companhia, porém, este valor que será repassado não deve ser suficiente para dar uma boa liquidez à TAP.

“Vale a pena recordar que a TAP formalizou, no dia 1 de junho, um pedido de auxílio de Estado ao qual atribuiu um elevado sentido de urgência. O Estado trabalhou no sentido de escrutinar o valor constante desse pedido, tendo concluído por um valor menor”, disse o secretário de Estado do Tesouro, Miguel Cruz, em audição parlamentar na Comissão de Orçamento e Finanças relativa à alteração ao Orçamento do Estado para 2020.

“O Estado Português fez um trabalho profundo de escrutínio dos valores, e definiu o montante máximo de 1.200 milhões de euros a utilizar em função daquilo que venham a ser, ao longo do tempo, as necessidades da companhia em matéria de liquidez para que, de facto, possa começar a sua recuperação”.

“Existiu um escrutínio grande daquilo que foi a identificação das necessidades de liquidez, sabendo nós que este é um setor que tem uma situação de incerteza muito grande, mas para além disso, há métricas muito estritas de avaliação de qual é, efetivamente, o montante do auxílio de Estado que ao longo do tempo, nos próximos seis meses, será efetivamente concedido à companhia”, completou Miguel Cruz.

A companhia aérea portuguesa, através do presidente Antonoaldo Neves questionou o valor ao governo local, e ainda disse que pode dar um “calote” na dívida, visto ser impossível pagar esse montante em 6 meses.

“É óbvio que nós não temos condições de pagar a dívida daqui a seis meses. Nenhuma companhia aérea no mundo tomou empréstimo para pagar em seis meses”, disse Antonoaldo Neves na Assembleia da República, em Lisboa, ressaltando que um plano de recuperação deverá ser apresentado nos próximos três meses.


A TAP busca outras formas de investimento ou empréstimos neste momento, ao mesmo tempo, há uma pressão para o Governo Português liberar um auxílio fora dos acordos da União Europeia, porém com aumento de participação estatal na companhia.

 

Com informações de NewsAvia.

DEIXE UMA RESPOSTA