TAP Air Portugal

As rotas internacionais da TAP entre Portugal e o Brasil estavam entre as principais da companhia aérea antes da pandemia. Com as diversas restrições de viagens e a queda na demanda por voos internacionais, a companhia vem sofrendo prejuízos constantes.

E os mais recentes bloqueios de voos para o Brasil e o Reino Unido é algo que pode impactar mais ainda a TAP, de acordo com a própria companhia em entrevista para ao Jornal Português ECO.

Mesmo na crise e com a demanda reduzida, a TAP operava 26 voos entre o Brasil e Portugal por semana, atendendo oito destinos diferentes. Mas nesta última semana a companhia precisou cancelar todos os seus voos regulares, e agora faz operações somente de carga ou voos de repatriação, pelo menos pelos próximo dias.

“As rotas do Brasil e as suas conexões representam um importante volume das receitas para a TAP. Esta suspensão de voos de e para o Brasil vai ter um forte impacto na companhia, adiando a recuperação [do mercado]”, disse a TAP ao ECO.

No ápice da demanda, entre o final de 2019 e o início de 2020, a TAP chegou a operar 71 voos entre o Brasil e Portugal. Enquanto no geral a queda na demanda é de 79%, nos voos para o Brasil a queda era de 63%, menor do que vários mercados que a TAP atuava antes da pandemia.

As rotas de longa distância e a demanda mais consistente do que em outros destinos marcavam uma receita adicional no caixa da companhia, que está se reestruturando neste momento.

Para a TAP essa operação de longa distância é vantajosa principalmente pelo valor da tarifa paga pelo cliente, e também pela carga transportada entre os dois países.