TAP

A TAP Air Portugal está enfrentando um impacto em sua malha com diversos cancelamentos de voos devido à falta de tripulantes. Segundo a companhia portuguesa, um volume acima da média de ausências de tripulantes foi registrado nas últimas 24 horas.

Diante da situação, a TAP enviou uma mensagem aos tripulantes buscando entender o motivo do grande volume de ausências dos tripulantes.

“Um aumento expressivo, e acima da média, de baixas de curta duração e ausências, comunicadas em períodos inferiores a 24 horas. A situação originou cancelamentos de alguns voos por falta de recursos, com o respectivo impacto na operação, nos clientes e nos colegas”. Informa um trecho da mensagem enviada por Ramiro Sequeira.

“Estamos bem dimensionados para voar, acima das projeções, o planejamento de novembro foi publicado sem oposições em aberto e com a regular programação de assistências, em cada frota/função, diante à operação programada. Em pleno período de retoma gradual da indústria e de transformação organizacional, este é um assunto que nos deve preocupar a todos, pelo que é necessário que todos tomem consciência, assumam a sua parte da responsabilidade e que façam parte da solução”

Segundo a TAP, pouco mais de 20% da sua escala de tripulantes para o final de semana não compareceram para realizar voos. A falta desses tripulantes ocasionou um número considerável de atrasos e cancelamentos dos voos da empresa.

A situação da ausência dos tripulantes ocorre em meio a uma busca de acordo entre a TAP e o Sindicato dos Aeronautas de Portugal com relação à jornada de trabalho e a remuneração. A empresa aérea realizou uma assembleia emergencial no dia 14 de outubro com o sindicato e também com a Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT).

Segundo informações divulgadas pelo Portal Público, o acordo firmado no dia 14 de outubro acordava que a TAP iria reduzir a jornada de trabalho dos tripulantes assim como a remuneração, os termos e condições também foram estabelecidas em comum acordo entre as partes. 

Um reunião no DGERT ocorreu na última terça-feira (16), informando que caso a companhia aérea não cumpra o acordo, o Sindicato ‘iria buscar resguardar os interesses dos aeronautas associados e buscando defende-los diante de qualquer situação de forma legal perante à lei’, incluindo uma possível greve por parte dos mesmos.

 

Fonte: Portal Público de Portugal

DEIXE UMA RESPOSTA