F-35A Lightning II da USAF

A Taxa de missão das variantes do F-35 (A,B e C) aumentaram segundo Ellen Lord, chefe de aquisição e manutenção do Pentágono. Com tudo essa aumento é relativo ao ano passado mas pelo o que parece só agora foi informado.

“À medida que a frota do F-35 cresceu, a prontidão das aeronaves melhorou”, afirmou Lord em testemunho preparado para o subcomitê de prontidão do HASC. A frota – agora 458 aviões nos serviços dos EUA e parceiros e clientes internacionais – cresceu 50% a mais em 2019 do que há um ano, e a empresa F-35 “está no caminho de produzir 150% mais aeronaves do que construímos em dois anos. atrás.”

Para se ter uma noção, Ellen usou números que demonstram o crescimento na taxa de operação, “aumentaram de 55% em outubro de 2018 para 73% em setembro de 2019”, disse Ellen. A prontidão do Marine Corps F-35B saltou de 44% para 68% durante esse período, os jatos F-35A da Força Aérea melhoraram de 66% para 75% e os jatos da Marinha, que só entraram em operação este ano, têm mais de 75%.

F-35B Lighting II Joint Strike Fighter (Imagem Ilustrativa) Foto: Us Navy Twitter

Mas vale lembrar que pelo visto as taxas mesmo que aumentadas não chegaram aos 80% de taxa de missão, valor esse que era o desejo do então ex- Secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis. E isso também inclui os F-22 Raptor, que tiveram um aumento mas não chegou ao esperado.

Além de mais peças de reposição, Lord disse que existem 161 projetos de melhoria de confiabilidade e capacidade de manutenção que foram identificados e “68 concluídos”. A taxa na qual os jatos não são capazes de missões por causa da falta de peças caiu cinco por cento no ano passado. , ela disse. As taxas com capacidade para missões também são afetadas por outros fatores, como a estabilidade do software, que não dependem de peças.

Outro grande impulsionador da melhoria da prontidão foi e será: “acelerar a ativação da capacidade de reparo orgânico de depósitos”. O objetivo da capacidade total de reparo orgânico passou de 2030 para 2024, mas “até o final deste ano, 30 das 68 linhas de reparo do depósito serão ativadas, mais uma ”do que a previsão anterior do Pentágono.

Lockheed Martin F-35C- Foto: Us Navy

“Também reduzimos o tempo total de reparo de peças em 13% e estamos trabalhando na implementação contínua de contratos baseados em desempenho e contratos principais de reparo com nossos parceiros do setor”, relatou ela.


 

Fonte de apoio: Air Force Magazine / Edição: Aeroflap