O terminal de logística de carga (Teca) do Aeroporto de São José dos Campos/Prof. Urbano Ernesto Stumpf (SP) movimentou 1.258 toneladas (t) em volumes de janeiro a dezembro de 2018. 

O destaque ficou por conta das exportações, com aumento de 19,83% nos doze meses do ano – 590,72 t contra as 492,94 t de cargas processadas em 2017.

O Teca atende principalmente aos setores aeronáutico, aeroespacial, petroquímico, automobilístico, de telecomunicações e de informática em seu processamento de cargas. E os principais destinos dessas mercadorias são Estados Unidos e Europa. O complexo logístico também trabalha com a nacionalização de cargas vindas de outros terminais e modais logísticos.

De acordo com o superintendente do aeroporto de São José dos Campos, Carlos Haroldo Novak, os resultados são uma sinalização positiva para o terminal paulista, que desde fevereiro de 2018 conta com a parceria da empresa Dawlog Logísitica e Hangaragem na administração Teca.

“Em 2017, a INFRAERO adotou um novo posicionamento estratégico e de mercado na área de logística de carga, buscando expandir o portfólio de serviços e produtos de logística integrada oferecidos pela empresa e ampliando a parceria com a iniciativa privada nos negócios”, lembra Haroldo.

“Com o novo posicionamento, buscamos permanecer alinhados às melhores práticas de mercado, melhorando a competitividade e buscando todas as oportunidades possíveis para gerar valor, reduzir custos e garantir a máxima eficiência”, acrescenta o superintendente.

 

O TECA

O Teca tem área total de 6.107 m², com 731 m² para o recebimento de mercadores; 525 m² de armazéns, 525 m² para as cargas de exportação e 223 m² para as de exportação.

Além disso, o complexo conta com câmara frigorificada com capacidade de armazenamento de 12,6 m³. E o complexo logístico do aeroporto pode receber ainda mais volumes, pois tem capacidade para operar até 3 mil toneladas por ano sem contar as aeronaves importadas e exportadas pela EMBRAER através do TECA de SBSJ.