Foto: Stephen J Mason / Flickr via STSTW Media.

A Quicly Travel fez uma interessante lista de sete aeroportos nada convencionais para se conhecer pelo menos uma vez na vida. Alguns são até bastante conhecidos, inclusive. confira!

7º – Aeroporto Internacional Princesa Juliana – St. Martin

Mundialmente famoso por conta da sua proximidade com a Praia de Maho, o Aeroporto Internacional Princesa Juliana, na ilha de Saint Martin, no Caribe, é uma atração à parte para os turistas que vistam o destino.

A diversão é garantida tanto para os que estão prestes a aterrissar na pista de pouso, situada bem próxima à areia da praia, como para os banhistas, que podem relaxar observando os aviões a pouquíssimos metros de suas cabeças.

Do alto, os passageiros contam ainda com uma linda vista deste paraíso caribenho. Mas atenção: nem tudo são flores. Se aproximar muito da pista pode causar acidentes. Uma vez no destino curta a “atração” de forma consciente e sem colocar a sua outras vidas em perigo.

Airbus A340 pousando em St. Martin. Foto via Riu Hotels.

6º – Aeroporto de Paro – Butão

Na terceira maior cidade do Butão, o Aeroporto Internacional de Paro surge para desafiar todos aqueles que querem desbravar o chamado “Reino da Felicidade”. Apenas um seleto grupo de pilotos amplamente treinados tem permissão para aterrissar ou decolar em Paro devido à alta complexidade da operação.

Inserido em um vale com mais de 2.200 metros de altitude e próximo da Cordilheira do Himalaia, o aeroporto está rodeado por picos com mais de 5.500 metros. A paisagem é de tirar o fôlego. Aterrissagens e decolagens também…

5º – Aeroporto de Barra – Escócia

Pista de pouso asfaltada? Que nada! No Aeroporto de Barra, na Escócia, pousos e decolagens são realizados literalmente na praia!

Os pilotos, além de conferirem as condições climáticas, precisam se atentar também aos períodos de baixa maré, que é quando a “pista” não está encoberta pela água. Apenas pequenos aviões particulares estão aptos a utilizarem o único aeroporto do mundo a operar numa praia.

Foto: Stephen J Mason / Flickr via STSTW Media.

4º – Aeroporto de Courchevel – Alpes Franceses

Reduto dos milionários durante a temporada de neve no hemisfério norte, a lendária estação de esqui de Courchevel, uma das mais luxuosas e badaladas do mundo, é atendida por um singelo aeroporto com apenas 525 metros de pista que termina em um penhasco! Se as baixas temperaturas da região não lhe gelarem a espinha, a aterrisagem e a decolagem certamente irão. Apesar do “risco”, a vista sobre a neve é deslumbrante.

3º – Aeroporto Internacional de Kansai, Osaka – Japão

Se no Japão a falta de “espaço” é um problema constante, nem mesmo a escassez deste precioso recurso foi capaz de impedir a construção do colossal Aeroporto Internacional de Kansai, em Osaka.

Erguido em 1994, em uma ilha artificial com quatro quilômetros de comprimento por um de largura, o aeroporto se destaca por possuir o maior terminal de passageiros do mundo, com 1.700 metros.

Aeroporto Internacional de Kansai. Foto: Airport Suppliers.

2º – Aeroporto de Donegal – Irlanda

No extremo norte da Irlanda, no Condado de Donegal, região relativamente famosa pelo ecoturismo, o Aeroporto de Donegal se destaca por oferecer aos passageiros uma aterrisagem digna de cinema.

Com uma pista de pouso construída literalmente no meio do “nada”, é possível observar de tudo um pouco durante a descida ao solo: rochas e montanhas, praias de areias douradas, águas cristalinas e o imponente Monte Errigal ao alcance dos olhos. O Aeroporto de Donegal, aliás, constantemente aparece nas votações promovidas pelo site Privatefly

1º – Aeroporto Qamdo Bangda, Tibete

Para os turistas que colecionam destinos curiosos e se impressionam com números, o Aeroporto Qambo Bangda, no “teto do mundo”, o Tibete, oferece métricas bem interessantes.

O local é considerado o segundo aeroporto mais elevado do mundo, situado a mais de 4.300 metros acima do nível do mar. O recorde de pista de aterrissagem mais longa também é dele. São 5500 metros de comprimento para garantir minimizar os impactos da altitude.