Maquete Darkstar Top Gun Maverick

Os primeiros momentos do filme Top Gun: Maverick mostram um curioso avião que atinge Mach 10, pilotado pelo Capitão Maverick. Atualmente sabemos que esta aeronave fictícia é o Darkstar, conceito lançado pela Lockheed Martin, e que realmente é voltada a voos hipersônicos.

E nos últimos dias a fabricante lançou um vídeo de making of, onde demonstra uma maquete, utilizada por Tom Cruise na gravação do filme, uma das partes onde também podemos ver o uso de CGI (Computação Gráfica) para produzir as cenas.

A Paramount Pictures entrou em contato com a Lockheed, pedindo para que desenhassem o jato que tornaria Pete ‘Maverick’ Mitchell no homem mais rápido da história.

Veja no vídeo abaixo:

“Nós baseamos o projeto na aeronave mais rápida, o SR-71 [Blackbird] , que a Lockheed construiu na década de 1960. A equipe queria ir além disso”, disse o diretor de Top Gun: Maverick, Joseph Kosinski, no vídeo. “Integramos seus designers da Skunk Works com nossos designers do lado do filme.”

“Não há como ter feito Darkstar do jeito que fizemos sem a ajuda deles”, explica Kosinski.

“Através de sua equipe de design, aprendemos como fazer o avião parecer raivoso, maldoso, insanamente rápido”, acrescenta Jeremy Hindle, designer de produção do filme. “Nós o reduzimos um pouco. Também fez com que parecesse um pouco mais elegante e rápido.”

“O cockpit era alucinante… você realmente queria acreditar que era real”, disse Hindle, provando que a Lockheed cuidou dos detalhes na construção do Cockpit mesmo utilizando a maquete.

“Queríamos aquele momento no voo da Darkstar em que você sente não apenas o comando do voo, mas a beleza do voo”, disse Tom Cruise, no final do vídeo acima.

A maquete do Darkstar ficou tão realista que a China enviou um satélite para capturar imagens do avião, acreditando que era um novo projeto secreto dos EUA. 

A aeronave foi desenhada pela Skunk Works, nome da divisão de Programas de Desenvolvimento Avançado da Lockheed. Com sede em Palmdale, Califórnia, aviões como SR-71, F-117, F-22 e F-35 saíram das pranchetas da Skunk Works, identificada pelo desenho de um gambá (skunk em inglês).