O transporte aéreo brasileiro contribuiu com R$ 32,6 bilhões em impostos no ano passado, o equivalente a 1,3% da arrecadação do país, com a geração de 1,4 milhão de empregos (1,6% do total) e o pagamento de R$ 42,9 bilhões de salários (1,7% da massa salarial).

Isso é o que revela o Panorama 2019 da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), conjunto de dados e análises do setor aéreo lançado hoje no site da ABEAR. Segundo o levantamento, a aviação gerou R$ 103,4 bilhões de valor agregado à economia, ou 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB).

Vale ressaltar que essa contribuição não é direta. A mesma é pelo impacto causado pela forte presença da aviação em uma economia de capital aberto.

O empenho permanente das empresas aéreas brasileiras em reduzir o consumo de combustível e as consequentes emissões de CO2 também é destaque nesta oitava edição do Panorama.

A publicação traz, ainda, diversos aprimoramentos para medir a qualidade dos serviços prestados, como a já tradicional pontualidade da aviação nacional, prova dos ganhos contínuos de eficiência do setor, entre outros diversos dados e estudos que mostram a importância e a relevância da aviação para a economia e o desenvolvimento do país.

“É importante destacar que esta edição representa o último conjunto anual de dados e análises do setor elaborado pela ABEAR antes do severo impacto da pandemia do novo coronavírus. Isso torna o Panorama 2019 de vital importância para servir como uma base fidedigna de comparação das informações da aviação comercial, assim que esse cenário for superado e voltarmos aos patamares normais de operação e desempenho”, disse o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz.

 

Informações por: ABEAR

DEIXE UMA RESPOSTA