O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), realizou uma assembleia nessa sexta-feira (12/01) em São Paulo para discutir uma paralisação de pilotos da LATAM. O motivo é a contratação direta de pilotos para o Boeing 767, quebrando um plano de carreira onde pilotos de aeronaves menores assumem, depois de um tempo, as aeronaves maiores, além de voos internacionais de longa distância.

A paralisação foi iniciada, de acordo com o SNA, devido à posição da companhia de não “ouvir” a reivindicação dos tripulantes. De acordo com um grupo de 500 copilotos da LATAM, a companhia não privilegiou a seleção desses, que atualmente comandam aeronaves da família A320, quebrando o plano de carreira, como citado acima.

O grupo aguarda uma resposta da companhia, e uma nova assembleia já está agendada para dia 19 de janeiro, às 14h, com primeira chamada às 13h30.

Além disso os pilotos de aeronaves maiores, como o Boeing 777, 767 e o Airbus A350, ganham um salário maior em comparação com os pilotos (comandante e co-piloto) do Airbus A320. Além disso a escala de voos internacionais é mais “enxuta”, visto que o piloto faz longos trechos voando (e contabilizando no tempo trabalhado) e tem mais tempo acumulado de folga, quando em solo.

De acordo com um comunicado do SNA, os copilotos e comandantes que compareceram à assembleia demonstraram sua insatisfação com esta ação unilateral da empresa e pleiteiam, além da reversão imediata deste processo, que os tripulantes contratados sejam alocados no A320 e que seja dada a oportunidade de promoção para todos os copilotos da empresa antes de haver qualquer tipo de contratação externa em aeronaves widebody.

A diretoria do SNA e os pilotos da Latam solicitaram que seja respeitada a antiguidade dos copilotos para as promoções de equipamento.

 

Via – SNA