Airbus A350 Turkish Aeroflot
Foto: Clément Alloing

Com as sanções impostas contra a Rússia em razão da guerra, as fabricantes não estão entregando aeronaves para as companhias aéreas russas. Outras empresas como a Turkish estão se beneficiando e recebendo esses aviões quase de forma imediata.

Somente na última semana, a Turkish recebeu quatro novos aviões e desses, três eram para ser entregues para a S7 e também para a Aeroflot. Ao todo foram três Airbus A350-900 e mais um Airbus A321neo.

O primeiro a ser entregue foi o A350 de matrícula TC-LGG no dia 6 de julho, este avião é uma encomenda original da Turkish.

No dia 7 de julho foi entregue o segundo avião Airbus A350-900, a aeronave seria entregue para a Aeroflot mas ficou estocada por mais de seis meses. Na Turkish voará com a matrícula TC-LGJ.

Ainda no dia 7 de julho, foi entregue um Airbus A321neo, este seria entregue para a S7 Airlines. Como não pôde ser entregue, passou sua propriedade para a empresa de leasing da Airbus e foi repassado para a subsidiária da Turkish, a AnadoluJet como TC-LUJ.

No dia 8 de julho chegou o terceiro A350, de matrícula TC-LGI havia sido encomendado originalmente pela Aeroflot mas esteve estocado nos últimos seis meses e foi constado como não entregue nos relatórios da Airbus.

A Turkish tem sido uma das empresas mais beneficiadas pelas entregas que não ocorreram para empresas da Rússia. Antes de aceitar os modelos da Airbus, a companhia também  incorporou cinco Boeings 737 MAX que seriam entregues para a S7 Airlines. Assim como o A321neo, repassou os aviões para a AnadoluJet.

Aproveitando a demanda crescente e ainda em alta temporada na Europa, a companhia com sede em Istambul aproveitou a chegada dos aviões e apenas aplicou seus títulos para identificar. 

Por hora, os A350 ficaram com as cores da Aeroflot e os títulos da Turkish, até que a aeronave seja retirada da malha para reformulação. Possivelmente o interior dessas aeronaves também estarão com o padrão da Aeroflot.