Presidente turco Erdogan acena para caças turcos F-16

A Turquia está enfrentando problemas em relação aos seus pilotos militares. De acordo com o site The Eurasian times quase 300 pilotos foram expurgados de suas funções como militares da força aérea truca, agora o governo de Erdogan está buscando formas de contratar mais pilotos, pois a falta deles é um grande problema.

O ponto alto da falta de pilotos começou em 2016. e desde então a força aérea turca vem enfrentando problemas devido a falta de pilotos, e isso é um contraponto pois a Turquia tem intenção de comprar mais aeronaves e de construir seu próprio caça furtivo, o T-X.

Presidente da Túrquia, Erdogan- Foto: Divulgação via REUTERS

“Mas o dano foi feito nesse ínterim, com 251 pilotos pedindo aposentadoria ou demissão sob a lei de 2012, que encurtou o serviço obrigatório para 13 anos”, afirmou o Nordic Monitor em seu relatório de janeiro de 2020.

Muitos pilotos foram para empresas aéreas por o salário era o principal motivador para abandonarem suas carreiras de pilotos militares.

 

A busca por pilotos estrangeiros

Ancara (capital da Turquia), buscou a solução de chamar pilotos da Turquia para pilotar seus caças F-16, no entanto, isso não teve a aprovação dos EUA. Mas os EUA permitiram que pilotos sauditas pilotassem os F-16 da Turquia.

Contudo, a Grécia que vem tendo tensões com os Turcos, alegando que há pilotos paquistaneses voando em caças F-16 turcos.

“Foi observado por analistas militares e importantes grupos de mídia na Grécia que os paquistaneses estavam pilotando jatos de guerra turcos e até mesmo violaram o espaço aéreo grego em várias ocasiões”, disse o jornalista grego Paul Antonopoulos do Greek City Times.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA