Su-35 Rússia Sukhoi Ucrânia
Caças Su-35S Flanker-E da Força Aérea Russa. Foto: Rosoboronexport.

As Forças Armadas da Ucrânia afirmam ter abatido mais um caça das Forças Aeroespaciais Russas (VKS). Dessa vez, a vítima seria um Sukhoi Su-35S Flanker-E, o caça mais moderno usado no conflito. Se confirmado, este é o segundo Su-35 que a Rússia perde na guerra. 

O Comando da Força Aérea Ucraniana (UAF) reportou que por volta das 20:00 de ontem (19) um caça russo, provavelmente um Su-35, foi abatido “por uma unidade de forças de mísseis antiaéreos das Forças Armadas da Ucrânia na área de Nova Kakhovka”, na região de Kherson, sul do país. Esta zona é atualmente ocupada pelos russos. 

A UAF ainda afirma que o caça foi derrubado enquanto atacava forças ucranianas. O piloto ejetou e foi resgatado por tropas russas. 

Nas redes sociais circulam vídeos mostrando um avião não identificado caindo em chamas e explodindo ao impactar o solo.

As mídias foram associadas ao suposto Su-35 abatido. Até o momento, não há qualquer confirmação de que o caça derrubado era realmente um Su-35 russo. Ainda assim, fontes russas alegam que se trata de um caso de fogo amigo, onde o avião foi atingido por sistemas antiaéreos de seu próprio país. 

A Rússia perdeu seu primeiro Su-35S no conflito no início de abril. A aeronave caiu nas proximidades de Izium, no leste da Ucrânia, perto de Kharkiv. No mês seguinte, foi reportado que agentes dos EUA e Reino Unido colocaram as mãos nos destroços do avançado caça

O Su-35S é a variante mais moderna da chamada “Família Flanker”, que teve início com o Sukhoi Su-27 ainda na década de 1970. É um caça de 4.5 Geração, equipado com um par de motores turbofan Saturn AL-41F1S com bocais móveis (empuxo vetorado), tornando-o super manobrável.

Su-35S Flanker-E carregando bombas KAB-1500L guiadas por laser e mísseis ar-ar R-77 e R-73. durante testes. Foto: Vitaliy Yurtaev.

O caça também possui 12 pontos duros para carregar diversos armamentos como mísseis ar-ar, ar-solo e antirradar, bombas guiadas, foguetes e outros, além de portar um canhão GSh-30-1 de 30mm, com 150 munições.

Seus dois principais sensores são o radar de varredura eletrônica passiva (PESA) IRBIS-E e o IRST (Infrared Search and Track) OLS-35, este último o alvo da análise dos militares norte-americanos.