MiG-29 Fulcrum Ucrânia pintura
Jato de combate recebeu pintura chamativa com cores azul e amarelo.

A Força Aérea da Ucrânia (UAF) segue operando, mesmo que de forma bastante limitada. Uma das provas disso foi um esforço recente da organização, que colocou em serviço um caça MiG-29 Fulcrum que estava parado. O jato de combate ainda recebeu uma bela pintura em cores azuis e amarelas. 

No vídeo, a aeronave é vista armada com mísseis R-73, de curto alcance e guiado por calor, e o R-27R, de médio alcance e guiado por radar. O vídeo acaba antes que seja possível ver qualquer número de identificação. 

A extravagante pintura com vivas cores azuis escuro e claro com faixas amarelas – cores da bandeira ucraniana – fez com que portais e internautas identificassem o MiG como se pertencesse a antiga equipe de demonstração da UAF, os Ukrainian Falcons. 

No entanto, por mas chamativa que seja, a pintura não tem relação com a antiga equipe, que operou durante um curto período entre 1996 e 2002, também com o venerável MiG-29. 

MiG-29 da antiga equipe Ukrainian Falcons. Imagem: Aerobatic Teams.

Como é possível observar na imagem acima, os Fulcrum da equipe ostentavam um esquema de pintura diferente, com as cores branco e vermelho que não são vistas no jato atual. Além disso, as faixas na cauda também são pintadas de forma diferente. 

Apesar de ser uma bela pintura, um esquema chamativo como esse é controverso. Cores vivas facilitam a visualização e identificação na aeronave no céu, especialmente em combates aproximados (dogfights).

MiG-29 Ucrânia Ukrainian Falcons pintura
MiG-29 da equipe de demonstração da Força Aérea da Ucrânia. Foto: Miki Freer/Wikimedia.

E por mais que o uso do radar (e outros sensores/meios eletrônicos) seja a principal forma de detecção e até abate de uma aeronave no combate aéreo moderno, forças aéreas do mundo todo ainda pintam suas aeronaves com cores que visam dificultar sua visualização. O cinza é o tom principal e também serve para padronizar a pintura das organizações. 

Uma imagem recente da Força Aérea Brasileira, capturada em Porto Alegre, mostrou isso. A foto viralizou justamente porquê internautas não conseguiam visualizar todos os nove aviões na imagem. Leia mais sobre esse fato clicando aqui.

Pampa Porto Alegre F-5 FAB viral
Imagem viral mostra nove caças F-5EM/FM do Esquadrão Pampa sobrevoando a zona norte de Porto Alegre. Foto: Esquadrão Pampa via redes sociais.

O portal The War Zone entrou em um contato com um piloto da UAF. Apelidado de Juice, o aviador confirmou que se trata de um MiG-29 pronto para combate. Juice ainda afirmou que os relatos de que o MiG é “um antigo caça acrobático” são “besteira”.

Não há detalhes de como a UAF colocou o avião de volta ao serviço ativo, mas é bastante provável que tenha usado as peças e ferramentas enviadas por outros países nos últimos meses. 

Apesar de ter solicitado o envio de aviões completos, a Força Aérea Ucraniana confirmou em abril que, na época, recebeu apenas peças e material de manutenção para sua frota de aeronaves.

Estima-se que a UAF conseguiu recuperar 20 aviões com esses “novos” materiais, um número significativo para uma pequena força aérea que luta contra uma das cinco maiores frotas de jatos de combate no mundo. 

Em meio ao combate contra um inimigo muito maior e que detém a superioridade aérea sobre o país – mas não a supremacia -, uma pintura como essa pode fazer algum sentido como uma forma de levantar o moral das tropas.

Além disso, também serve como uma peça na guerra de propaganda, um dos grandes fatores que tem sido parte do conflito entre Rússia e Ucrânia. Um dos maiores exemplos é a lenda do Ghost of Kyiv (Fantasma de Kiev) que surgiu nas primeiras 24 horas da guerra.

MiG-29 Fulcrum Ucrânia
A bordo de seu caça MiG-29 Fulcrum, o “Fantasma de Kiev” teria derrubado seis aviões de combate russos nas primeiras 24 horas do conflito. Pelo menos é o que diz a lenda urbana que viralizou nas redes sociais.

A história, que já foi desmentida pela própria UAF, dizia que um Ás piloto de caça abateu seis aviões russos com seu MiG-29 apenas no primeiro dia de combate. Ao longo do conflito, a história foi se estendendo, assim como o suposto número de abates do “fantasma voador”, com algumas fontes apontando que o aviador misterioso teria sido responsável pela derrubada de mais de 40 aviões russos. 

De qualquer forma, a luta dos militares da UAF contra a Rússia virou um símbolo da resistência ucraniana. Ainda que com poucos aviões e uma infraestrutura arrasada, os aviadores ainda decolam, mesmo enquanto são bombardeados ainda em solo

Dito isso, por mais que a pintura fuja dos padrões de camuflagem para algo muito mais visual e chamativo, talvez seja um multiplicador na moral dos ucranianos. Um fator muito importante, especialmente para o país que segue perdendo aeronaves de sua pequena frota, sem receber aeronaves de reposição.