Airbus A380 Aeronaves

A Airbus iniciou hoje(11), os testes do último Airbus A380 a ser fabricado, a aeronave possui o MSN 272. Os testes iniciais são para o acionamento dos motores e realizar testes de taxiamento com o ‘superjumbo’. 

O último Airbus A380 está marcando o fim de um era, apesar de ainda continuar em operação por mais alguns anos. A realidade é que o número de A380 em operação caiu muito, e mesmo diante de um cenário futuro onde a aviação tende a se recuperar, o mercado agora é dominado por bimotores.

A aeronave será entregue a Emirates, como já era previsto. A companhia aérea tinha 5 aeronaves pendentes para receber. O programa do Airbus A380 foi encerrado há cerca de 2 anos, esse foi o maior avião já construído pela fabricante europeia. 

O último Airbus A380 atualmente se encontra em testes em Toulouse, além dos testes de motores e taxi, também irá realizar os voos de teste, bem como os testes de iniciar a corrida para decolagem e abortar. 

Após essas baterias de testes, o gigante da Airbus seguirá para Hamburgo para ser pintado e receber a configuração da companhia aérea, no caso a Emirates. Os últimos A380 a serem entregues serão os de matrículas A6-EVO/EVP/EVQ/EVR/EVS. 

O CEO da Emirates disse há cerca de um mês, que a empresa continuará operando até pelo menos 2030 com o Airbus A380. O atual cronograma de entrega do jumbo é serem entregues dois ainda em 2021 e o restante em 2022, dependendo de como será a retomada da demanda.

Diversas companhias aéreas colocaram um ponto final em suas frotas de Airbus A380, entre elas a Air France, a Lufthansa, a Thay Airways e outras empresas. A situação nada favorável ao Airbus A380 também se estende ao Boeing 747 pelo menos na versão de passageiros. Diversos 747s também foram aposentados, por empresas que também operam o Airbus A380.

Em um futuro não muito distante iremos ver mais Boeings 777, 787 com Airbus A330neo e A350 como aeronaves para voos longos e internacionais. A modernidade e um custo menor de operação fazem com que os clássicos aviões quadrimotores sejam cada vez menos vistos nos Aeroportos do mundo todo. Sorte do Boeing 747, que ainda há uma sobrevida como cargueiro.