Últimos passos: FAA esboça etapas restantes para certificação do Boeing 737 MAX

Foto - Boeing/Divulgação

Falta pouco! A Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos fez o esboço das últimas etapas de testes e processos a serem feitos pelo Boeing 737 MAX antes da recertificação do modelo, que está sem voar desde Março de 2019.

Dentre os próximos passos a agência também planeja emitir um Aviso de Proposta de Regra (NPRM) para uma Diretiva de Aeronavegabilidade (AD) em um futuro próximo. 

“A agência continua seguindo um processo de certificação robusto. Além da equipe de certificação padrão da FAA, o 737 MAX Technical Advisory Board (TAB) continua a fornecer valiosa revisão e consulta.” Disse a agência.

O NPRM é um aviso público quando a agência do governo dos EUA deseja alterar os regulamentos. Uma vez emitida, a FAA fará comentários públicos por um período de 45 dias, e na conclusão desse processo, a FAA analisará todos os comentários feitos e fará as alterações necessárias e publicará o AD referente ao 737 MAX.

Isso vai de encontro ao prazo apresentado antes pela Boeing e FAA, sobre certificar mesmo o 737 MAX em setembro. Mas vamos conferir alguns detalhes divulgados pela agência nos parágrafos abaixo.

O Joint Operations Evaluation Board (JOEB) e o Flight Standardization Board (FSB) são partes essenciais do processo de revisão da agência. O planejamento final está em andamento para essas diretorias revisarem o treinamento proposto para as tripulações de voo, com base nas mudanças no projeto e nos procedimentos da tripulação.

O JOEB é um grupo de profissionais, incluindo reguladores do Canadá, Europa e Brasil. O objetivo deste conselho é avaliar os requisitos mínimos de treinamento de pilotos. Quando isso for concluído, o FSB emitirá um projeto de relatório aberto a comentários do público que aborda as conclusões do JOEB.


Pátio de KBFI, em Seattle, no Boeing Field. Foto – REUTERS/Lindsey Wasson

A Boeing está trabalhando na documentação final do projeto do 737 MAX. A FAA analisará a documentação do projeto para garantir que esteja em conformidade com todos os regulamentos da agência.

Além disso, o Conselho Consultivo Técnico, composto por profissionais de várias agências, também analisa os envios da Boeing e emite um relatório final antes que a FAA determine se a documentação do projeto é ou não compatível.

O CANIC significa Notificação de Aeronavegabilidade Continuada para a Comunidade Internacional. Este documento notificará agências reguladoras internacionais e partes interessadas sobre ações pendentes relacionadas à segurança da aeronave. Depois disso, a FAA lançará uma Diretiva de Aeronavegabilidade (AD) final, que tratará de problemas conhecidos nas aeronaves que levam ao aterramento. 

Quaisquer ações corretivas que precisam ser tomadas antes que o tipo possa entrar novamente no serviço comercial serão incluídas no AD.

Assim que a FAA derrubar a ordem de aterramento do avião, as companhias aéreas precisarão garantir que o trabalho especificado no AD seja realizado (assim como qualquer treinamento para a tripulação) antes que a aeronave volte ao serviço comercial.

A FAA emitirá certificados de aeronavegabilidade e exportação para todas as novas aeronaves Boeing 737 MAX fabricadas desde o início do aterramento. Como parte disso, a agência conduzirá pessoalmente análises individuais dessas aeronaves.

Todo o processo deve levar ainda alguns meses, mas já reforça um pouco mais a luz de que até o final do ano a aviação terá uma boa noticia pós-crise do Covid-19 com a volta de uma aeronave tão importante como o Boeing 737 MAX. 

 

DEIXE UMA RESPOSTA