Um adeus emocionante: Boeing 747 da Qantas realiza seu último voo

Foto: Bidgee

O dia da aposentadoria não tem jeito, chega para todos algum dia, e com o Boeing 747 da Qantas foi de maneira emocionante. Para dar um adeus a altura que esse ícone merece, a Qantas realizou uma serie de ações envolvendo entusiastas, passageiros e claro sua tripulação.

A Qantas iniciou os voos de despedida do Boeing 747 há alguns dias e foi bem concorrido para garantir um lugar nessa despedida. A Qantas também abriu para despedidas em seu hangar, foi feito pedido para que os convidados, funcionários e a tripulação pudessem escrever na barriga do jumbo.

747
Foto: Simple Flying

Despedida

O ato final foi feito pelo Boeing 747-400 de matrícula VH-OEL, que realizou o voo QF7474 sem passageiros de Sydney (SYD) para Los Angeles (LAX). Este foi o capítulo final de uma história que marcou os australianos de todas as boas formas possíveis.

Antes disso, esta mesma aeronave realizou sobrevoos por toda a cidade dando assim uma chance única de fazer um voo com essa trajetória.

Impossível seria não se admirar com essa aeronave e nem reconhecer o tamanho de suas conquistas pela Austrália. Foi o que o CEO da Qantas disse e ressaltou o quanto o 747 fez diferença na vida de quem conviveu e vivenciou a trajetória desse ícone.

“o Boeing 747 contribuiu para a derrubada da tirania da Austrália, muito lamentada” e “ [Os 747] conquistaram um lugar muito especial na história da aviação, e eu sei que eles sentirão muita falta de muita gente. pessoas, inclusive eu”, disse o CEO em seu discurso.

Seria esse o tipo de voo que vários pilotos gostariam ou não de realizar? Se for positiva a resposta sorte da comandante Sharelle Quinn. Ela voou durante muitos anos no comando do quadrirreator icônico e como não poderia ser diferente trouxe grande a tona grandes emoções de uma vida inteira voando no jato.


“Eu voei com esta aeronave por 36 anos e foi um privilégio absoluto”, disse a comandante antes de levar o jato a seu descanso.

 

O Boeing 747 ‘final’

Este talvez tenha sido o 747 mais desejado por todos os australianos, entre fãs, entusiastas da aviação e funcionários. Esse avião específico que levou durante anos a matrícula VH-OEL foi recebido pela Qantas em julho de 2003 e logo quando chegou já recebeu uma pintura especial.

Qantas 747
Foto: Damien Aiello

Desde 2003 a aeronave levava em sua fuselagem a pintura “Wunala Dreaming” , bem colorida e chamativa. Impossível seria não notar uma aeronave desse tamanho e com essas cores sobrevoando ou estando em um aeroporto.

A pintura foi retirada em 2012 e aproveitou a pausa para uma nova pintura e realizou uma reformulação completa, que iria desde os detalhes da pintura até os interiores totalmente novos. Ainda em sua trajetória no ano de 2016, este Boeing recebeu a pintura “Spirit of the Australian Team” e logo retirada em 2017.

O Boeing 747 estava fora de serviço desde março desse ano, quando a crise do Covid-19 causou grandes mudanças as empresas em seus caixas. 

 

Importância do Boeing 747 para a Qantas

O Boeing 747 teve um impacto significativo na Qantas e em suas operações. Ele permitiu que a companhia aérea não apenas conectasse destinos distantes em todo o mundo (além de apenas rotas sobre o Pacífico para Los Angeles), mas também abriu as possibilidades para viajantes de Classe Econômica, graças a um grande número de assentos disponíveis.

“O Boeing 747 mudou a Qantas; mudou a aviação na Austrália, mudou a aviação no mundo”-  disse o CEO da Qantas, Alan Joyce, durante o evento.

Para muitos australianos o Boeing 747 foi um marco inesquecível ao realizar as primeiras viagens internacionais. Há também boa parte que se mudou na desada de 70 durante a campanha de imigração da Austrália, também vieram a bordo de um Boeing 747.

O vídeo abaixo conta alguns dos marcos e voos históricos feitos com o Boeing 747 durante mais de 30 anos de serviços prestados a empresa australiana. 

A Qantas substituirá todas os Boeing 747 pelo Boeing 787 Dreamliner, a presença dessas grandes aeronaves inaugura uma nova era de aeronaves silenciosas.

Com o baixo consumo de combustível, possuem um custo operacional mais baixo e podem carregar o mesmo tanto de passageiros indo a distancias maiores. 

“Foi uma parte maravilhosa da nossa história, uma aeronave verdadeiramente inovadora e, embora lamentamos ver a última partida. É hora de entregar a próxima geração de aeronaves que são muito mais eficientes”, disse Alan Joyce comentou durante o evento

 

DEIXE UMA RESPOSTA