Como será a experiência de viagem no futuro? A Delta Airlines continua investindo em melhorias em todos os aspectos da experiência de viagem para que os clientes sintam o futuro hoje – e muito mais que está por vir.

Desde que lançou o primeiro terminal biométrico nos Estados Unidos em 2018, a companhia aérea reforçou sua posição de líder do setor em biometria, expandindo a tecnologia para quatro novos mercados em menos de um ano, facilitando a circulação no aeroporto e reduzindo o estresse.

Dúvidas sobre como a tecnologia funciona? Confira este gráfico.

Se um cliente não quiser usar o sistema de reconhecimento facial, basta informar ao funcionário da Delta e prosseguir pelo aeroporto como sempre. A companhia não armazena dados biométricos, nem planeja fazer isso no futuro.

 

Você fará uma viagem internacional e quer saber onde você poderá usar a biometria da Delta?

Terminal biométrico – da entrada ao embarque – em Atlanta para voos internacionais

Os clientes com voo direto para um destino internacional da Delta ou de suas parceiras Aeromexico, Air France, KLM, Korean Air ou Virgin Atlantic podem usar a tecnologia de reconhecimento facial da entrada ao embarque, incluindo:

  • Check-in nos quiosques de autoatendimento no terminal internacional.
  • A bagagem despachada pode ser deixada nos balcões do terminal internacional.
  • Identificação no ponto de verificação TSA (segurança do aeroporto).
  • Embarque em voo internacional usando qualquer portão do Terminal F e em voos internacionais que saem do Terminal E.
  • Verificação na imigração de viajantes estrangeiros que chegam aos Estados Unidos.

Com base em uma pesquisa recente com clientes do Terminal F da ATL, 70% deles consideraram atraente a experiência de reconhecimento facial da entrada ao embarque após usarem esse recurso. Essa experiência também está sendo lançada no aeroporto de Detroit (DTW).

 

Embarque em voos internacionais em Atlanta, Mineápolis, Salt Lake City, Detroit e Los Angeles

Os clientes com voo direto para um destino internacional da Delta ou de suas parceiras saindo de um desses aeroportos agora podem optar pela tecnologia de reconhecimento facial no embarque.

Pesquisas de mercado mostraram que 72% dos passageiros preferem o sistema de reconhecimento facial ao embarque padrão.

A Delta tem realizado testes com biometria há mais de três anos. No início, a tecnologia era opcional em Atlanta, Detroit e Nova York-JFK, na área de imigração dos Estados Unidos. Além disso, a Delta realizou testes de autoatendimento de despacho de bagagens em Mineápolis/St. Paul com clientes de voos internacionais. A Delta também testou o embarque biométrico no Aeroporto Nacional de Washington Ronald Reagan e lançou o check-in biométrico opcional em todos os Delta Sky Clubs domésticos por meio da Delta Biometrics.

Nos últimos anos, a Delta tornou-se líder no setor de soluções para o cliente, como manuseio de bagagens por sistema RFID, linhas de triagem automatizadas de alta tecnologia e mais eficientes. A Delta lançou o sistema de check-in automático no aplicativo móvel Fly Delta e um aplicativo inovador que ajuda os pilotos da Delta a evitar turbulência e garantir voos mais confortáveis. A Delta foi nomeada uma das empresas mais inovadoras do mundo em 2018 pela Fast Company, conquistando o sexto lugar entre as companhias de viagens