O voo cancelado que levou à criação da Virgin Atlantic

Virgin Atlantic

A Virgin Atlantic é, há mais de três décadas, uma companhia diferente nas viagens de longa distância.

Começando com um único Boeing 747, e um escritório apertado em Londres, a companhia aérea se tornou uma das mais desejadas pelos clientes quando falamos atravessar o Atlântico.

Mas você sabia que a empresa inteira poderia nunca ter surgido se não fosse o dia em que o voo de Richard Branson foi cancelado?

 

Quando Richard foi “barrado”

A história da empresa diz que Richard Branson estava esperando um voo em Porto Rico para as Ilhas Virgens Britânicas, quando foi avisado de que não haveria o voo.

Havia poucos passageiros e, portanto, o voo foi cancelado.

Branson não é um homem que aceita o não como resposta, por isso decidiu tomar o assunto por conta própria.


Ele disse: “Eu tinha uma senhora bonita esperando por mim nas Ilhas Virgens Britânicas, aluguei um avião e pedi emprestado um quadro-negro e, como brincadeira, escrevi a Virgin Airlines no topo da lousa, US$ 39 para BVI (Ilhas Virgens Britânicas). Saí em volta de todos os passageiros que haviam sido barrados e enchi meu primeiro avião”.

Na chegada, alguém brincou dizendo que, se ele aprimorasse um pouco seus serviços, ele poderia estar no negócio de companhias aéreas. Isso fez com que seu famoso cérebro funcionasse e deu a Branson o ímpeto de pensar em fazer algo diferente.

Foto: Branson em um avião

Tendo visto como era fácil encher um avião e se sentindo um pouco desanimado com a falta de cuidado da indústria da aviação com seus passageiros, Branson decidiu “colocar a mão na massa”.

O primeiro passo para Branson foi arrumar um Boeing 747, considerado por ele um avião espaçoso e moderno para realizar voos transatlânticos.

O Sr. Richard Branson como sempre feliz em Farnborough, após realizar a encomenda.

Richard Branson sempre foi conhecido como uma pessoa focada em inovação. Em seu blog, ele afirma como ele pega coisas que o irritam e procura maneiras melhores de fazer de uma forma melhor.

Ele disse: “Minhas maiores fontes de inspiração para novas idéias de negócios são as coisas que me frustram. Sei que algo está me incomodando, geralmente há um problema a ser resolvido ou uma maneira melhor de fazer alguma coisa.”

Em um mundo em que os passageiros das companhias aéreas costumam se sentir um pouco menos valorizados do que um simples número, a Virgin Atlantic sempre se esforçou para ir além para servir seus clientes.

A Virgin Atlantic tinha apenas um 747 quando iniciou as operações.

Começar uma companhia aérea porque estava frustrado com o modo como outras companhias aéreas o tratavam é uma jogada característica de Branson. A mesma atitude se espalhou por outras áreas de seus negócios, da Virgin Media, sua empresa de comunicações, à Virgin Holidays e, é claro, à gravadora original.

A inovação continua, já que a Virgin lançou sua própria linha de cruzeiros, a Virgin Voyages, que promete oferecer algo um pouco especial em comparação com outras empresas de cruzeiros. E depois, é claro, existe a Virgin Galactic, que promete levar as pessoas ao espaço de forma mais fácil e barata nos próximos anos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA