Condor União Europeia
Foto - Condor/Reprodução

A União Europeia aprovou na manhã desta terça-feira (27) o pacote de aporte financeiro em ajuda para a companhia aérea alemã Condor. A empresa com sede em Frankfurt na Alemanha operava voos fretados principalmente em viagens a lazer.

Desde o final de 2019 quando o Grupo Thomas Cook declarou falência, a Condor deixou de ter um controlador e passou a responder diretamente pelas suas operações. A companhia aérea negociou em 2020 um empréstimo com o governo para o período que a pandemia estava impactando a maior parte das viagens.

Desde o inicio do aporte financeiro, a Condor está recebendo aproximadamente € 525 milhões(US$ 619 milhões). Esse valor engloba, ajuda no período de baixa demanda em decorrência da Covid-19, ajuda na reestruturação da empresa e baixa de empréstimos. 

Ao longo dos meses houve a denuncia de que o aporte dado pelo governo alemão era irregular, o caso havia sido julgado pelo Tribunal da União Europeia em junho. A decisão inicial era de que o aporte seria anulado como resultado de um pedido feito pela companhia aérea Ryanair, que julgava o aporte injusto.

Hoje (27), a companhia pode comemorar a decisão final da União Europeia de aprovar sem qualquer modificação o aporte financeiro sobre os danos causados pela pandemia e também em ajuda para reestruturação da empresa. 

O setor de aviação foi atingido de forma particularmente dura pelas várias restrições de viagem necessárias para conter a disseminação do coronavírus. As medidas que aprovamos hoje permitirão à Alemanha indenizar a Condor pelos danos diretamente sofridos como resultado de tais restrições. Ao mesmo tempo, o plano de reestruturação da Condor, que também aprovamos hoje, vai garantir o caminho da companhia aérea para a viabilidade a longo prazo.” Disse a Comissão em comunicado.

 

Esperança renovada

Antes da pandemia, o ano de 2020 começou esperançoso para a Condor que viu a LOT se interessar pela companhia aérea. Inicialmente a intenção de compra seria de aproximadamente € 300 milhões (US$ 353 milhões), porém em abril a negociação foi encerrada sem um desfecho positivo para a Condor.

A companhia aérea alemã permaneceu sob os cuidados da proteção do governo até pelo menos o mês de dezembro de 2020. A esperança foi renovada quando em maio desse ano, o grupo Reino Unido Attestor Capital LLP anunciou a aquisição de 51% da companhia e também reforçou que seriam feitos investimentos de € 200 milhões para reestruturação.

Além disso, outros € 250 milhões serão destinados a renovação da frota de longo curso, que conta com 21 aeronaves Boeing 767-300. O leasing de todos eles estão próximos do vencimento e a Condor optou por não renovar os contratos. Atualmente a frota é composta por aeronaves Airbus A320 e A321 além dos Boeings 757 e 767.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA