United Airlines vai alertar sobre suspensão de contratos a 36 mil funcionários

A United possui 14 Boeing 737s MAX atualmente aterrados pela FAA. Foto: United News Hub.

(Reuters) – A United Airlines disse nesta quarta-feira que está se preparando para enviar avisos de possível suspensão de contratos de trabalho a 36 mil funcionários nos Estados Unidos, ou cerca de 45% dos empregados.

Nem todo mundo que receber o aviso terá o contrato suspenso, disse a United e o número final de funcionários dependerá de como a demanda por voos evolui e quantos aceitarão pacotes de demissão voluntária e licenças temporárias.

 

As suspensões de contrato começam em 1º de outubro, quando expirar uma proibição de demissões imposta pelo governo dos EUA a companhias aéreas que aceitaram bilhões de dólares em auxílio governamental.

“Os números projetados pela United Airlines são um soco no estômago, mas também são a avaliação mais honesta que já vimos sobre o estado da indústria”, afirmou em comunicado a presidente da Associação de Comissários de Bordo da CWA (AFA), Sara Nelson.

A companhia aérea com sede em Chicago continua queimando cerca de 40 milhões de dólares de caixa todos os dias, com várias medidas que tomou para reduzir custos e aumentar a liquidez não compensando a queda drástica na demanda por viagens, à medida que os casos Covid-19 continuam aumentando nos Estados Unidos.
 

Os avisos sobre as suspensões variam de acordo com o grupo de trabalho. Os comissários de bordo estão entre os mais atingidos, com cerca de 15 mil dos cerca de 25 mil programados para receber um aviso.

“Mas o fato é que esses números projetados de licenças são maiores que o tamanho total da maioria das companhias aéreas principais há uma década”, disse Nelson, da AFA, referindo-se ao número de funcionários que as grandes companhias aéreas tinham antes das fusões.

DEIXE UMA RESPOSTA