Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Aeronave F-5N modernizada foi entregue para testes em solo e em voo na Estação Aérea Naval de Patuxent River. Foto: US Navy.

O escritório do programa de Aeronaves Especializadas e Comprovadas da Marinha dos EUA (PMA-226) recentemente entregou o primeiro F-5 Tiger II modernizado para a Estação Aérea Naval de Patuxent River, no estado de Maryland, onde o jato passará por testes em solo e em voo. Segundo a US Navy, os upgrades incluirão recursos encontrados em aeronaves modernas que melhoram a segurança e a prontidão do caça. 

O F-5N recém entregue é um dos três que serão usados ​​como protótipos da modernização do cockpit, aviônicos e arquitetura do avião. Essas atualizações melhoram a segurança, a capacidade e a confiabilidade, ao mesmo tempo que resolvem os crescentes problemas de obsolescência.

Após a conclusão bem-sucedida do teste, o PMA-226 usará essas atualizações como um elemento principal na conversão dos 16 F-5E e seis F-5F que a Marinha adquiriu recentemente da Força Aérea Suíça. O escritório converterá essas 22 aeronaves de acordo com o programa de Reconfiguração de Aviônica e Aprimoramento/Modernização Tática para Padronização de Estoque (ARTEMIS). O PMA-226 concluiu com êxito a avaliação de logística independente para o Programa ARTEMIS em junho e prevê alcançar o marco Milestone C no início do ano fiscal de 2022.

Nos EUA, os F-5N/F são usados pela Marinha e Fuzileiros Navais como aeronaves aggressor, ou seja, representam o papel do inimigo em treinamentos de combate aéreo. Depois da modernização, os caças serão designados F-5N+ e F-5F+. A companhia privada Tactical Air Support (TacAir) também possui uma frota de 21 F-5E atualizados para o padrão F-5AT Advanced Tiger, onde o cockpit foi modernizado com um display panorâmico e o HUD foi substituído pelo capacete Thales Scorpion, com display integrado. 

Piloto de um F-5AT Tiger II da companhia civil TacAir usando um capacete Thales Scorpion. Foto: Brad Holeski @short.stories.of.a.shutter

“A colaboração construtiva com nossos parceiros, a frota e a equipe do PMA-226 levou ao sucesso da missão, apesar dos desafios técnicos, de cronograma e de gerenciamento de integração da tecnologia do Século 21 em uma estrutura da década de 1970 durante a pandemia”, disse Boyd Forsythe, líder da equipe adversária (aggressor) do PMA-226. 

Com a modernização, p risco potencial de perda de um piloto e/ou aeronave será reduzido com a adição de instrumentação necessária que forneça avisos de proximidade com o solo, proteção contra condições climáticas severas e alarmes de nível de combustível. Esta atualização também adicionará capacidades táticas projetadas para melhorar o treinamento ar-ar da força “aliada”.

Dado o uso significativo de componentes comerciais prontos para uso (off the shelf) com manutenção bem definida e requisitos de equipamento de suporte para a aeronave configurada como protótipo de atualização, a estratégia de suporte ao produto será de nível organizacional (nível O) para o fabricante do equipamento original. A manutenção preventiva de nível O dos jatos modernizados consistirá em inspeções, limpeza e tarefas de manutenção programadas. Além disso, os mecânicos carregarão o software do sistema usando auxiliares de manutenção eletrônicos portáteis disponíveis no mercado.

Caças F-5N do esquadrão VFC-13 Saints. Foto: Jerry Gunner.

“Este programa fornecerá aeronaves modernizadas com aviônicos excepcionais e capacidades táticas que são necessárias para permitir que os pilotos pratiquem as táticas e técnicas empregadas contra uma ameaça semelhante. A entrega dessas melhorias garantirá um treinamento tático realista e relevante que os pilotos precisam para vencer em combate”, disse o Capitão Ramiro Flores, gerente de programa do PMA-226.

Via Naval Air Systems Command

DEIXE UMA RESPOSTA