B-2 Spirit

A USAF optou por deixar de lado uma parte da atualização dos bombardeiros furtivos B-2 Spirit.

O motivo do abandono está ligado ao gasto de quase US$ 2 bilhões, por causa da Northrop Grumman Corp. não poder fornecer a experiência em software necessária para completá-la no prazo e dentro do orçamento.

A atualização do B-2 é necessária visto as melhorias nos sistemas de defesa aérea da China, Rússia e Irã. É preciso fazer uma atualização no bombardeiro furtivo da década de 90. Uma atualização mais completa no B-2 está atrasada a quase três anos e desde então o valor para tal subiu de US$ 285 milhões para US$ 3 bilhões, e isso está sendo um problema.

A Northrop, que construiu o B-2, “não tinha o talento certo para fornecer a capacidade certa no momento certo”, então a Força Aérea reduziu a escala do programa este ano, Ellen Lord, subsecretária de defesa para aquisição e manutenção, disse a um pequeno grupo de repórteres na quarta-feira.

B-2 Spirit da USAF- Foto: RAF

A atualização deveria abranger todos os componentes eletrônicos defensivos do bombardeiro para detectar e iludir o radar terrestre, alertar os pilotos, atualizar os displays e melhorar a capacidade da aeronave de redirecionar sua trajetória de voo.

A Força Aérea atualizará a tela do cockpit, que é “necessário para substituir os displays insustentáveis ​​de tubos de raios catódicos (CRT)”, disse Will Roper, o principal comprador de armas do serviço, a um painel dos Serviços Armados da Câmara na semana passada.

Northrop afirmou em comunicado que “nos anos desde que começamos a modernização do B-2, tomamos medidas para aprimorar nossa capacidade no desenvolvimento ágil de software. Hoje estamos entregando muitos programas de sucesso como resultado dessas melhorias.”


Ainda não se sabe quanto até o final da atualização dos B-2 Spirits da USAF será gasto.O avião já é conhecido por ser a aeronave militar mais cara da história, tendo com preço por cada avião de US$ 2,1 bilhões.

 

DEIXE UMA RESPOSTA