USAF ‘doa’ cerca de US$ 882 milhões para a Boeing resolver problemas

Voo de Revo entre um KC-46A Pegasus e um bombardeiro stealh B-2 Spirit- Foto da Força Aérea dos EUA.

A Força Aérea dos EUA (USAF) decidiu liberar US$ 882 milhões em pagamentos retidos para a Boeing, com função de ajudar a solucionar um problema boom de reabastecimento do Boeing KC-46A.

Anteriormente a USAF reteve o pagamento total das aeronaves entregues para estimular a Boeing a resolver esses problemas do KC-46, porém com a recente crise, o pagamento retido poderia atrapalhar na solução de problemas dentro da Boeing.

O problema enfrentado é com o Sistema de Visão Remota (RVS) do KC-46, uma câmera utilizada para guiar o sistema de boom de reabastecimento de modo autônomo, até atracar com outra aeronave.

De acordo com a USAF, o dinheiro adicional deve ajudar a melhorar a posição financeira da Boeing e, assim, acelerar a resolução do problema. O novo design da câmera é desenvolvido em conjunto pela USAF e pela Boeing, sendo que ambos planejam colocar o novo RVS em funcionamento a partir de 2023.

A USAF reteve 20% dos pagamentos nos 33 aviões do modelo KC-46A que a Boeing entregou até o momento, visto que essas aeronaves não atendem às especificações do acordo entre ambas as partes.

As deficiências do avião incluem uma distorção da imagem pelo RVS, o que dificulta a direção do boom do reabastecimento; Problemas para conectar corretamente a mangueira de reabastecimento a aeronaves mais leves, como o Fairchild Republic A-10 Thunderbolt; Além de vazamentos de combustível em algumas válvulas instaladas incorretamente.

Desses, o único problema da Boeing é relacionado ao sistema RVS, sendo os outros de soluções da própria USAF, mas que ao mesmo tempo depende da Boeing para implementar novos sistemas no KC-46.


 

DEIXE UMA RESPOSTA