Bombardeiro B-52H Stratofortress sobre o Oriente Médio. Foto: USAF

A Força Aérea dos EUA assinou um contrato avaliado em US$ 947 milhões com a L3Harris para modernizar os sistemas de autoproteção e guerra eletrônica de seus bombardeiros estratégicos B-52H Stratofortress. 

O contrato vai permitir que a USAF possa proteger os bombardeiros e suas tripulações contra ameaças contemporâneas pelos próximos 10 anos. A L3Harris vai modernizar o sistema de autoproteção e guerra eletrônica AN/ALQ-172 do Stratofortress e integrará um sistema de radiofrequência comprovado em combate que pode combater simultaneamente várias ameaças de espectro eletrônico, sem interferir nas operações da aeronave. 

“A competição pelo espectro eletromagnético é feroz e, sem o domínio do espectro, nossas forças armadas perdem vantagem competitiva”, afirmou Ed Zoiss, presidente da L3Harris. “É fundamental continuar atualizando nossas plataformas para mantê-las superioridade de espectro.” A L3Harris diz que tem a opção de expandir o escopo de seu trabalho de manutenção de software a atualizações de hardware sob o novo contrato.

Continua depois do anúncio

No final do mês passado, a USAF anunciou que a Rolls-Royce vai fornecer os novos motores para os B-52Essas e outras atualizações permitirão que os clássicos bombardeiros de oito motores sigam operando além da década de 2050, ou seja, 100 anos depois do seu primeiro voo em 1952.