GOL LATAM

O diretor-executivo e CEO da ALTA, José Ricardo Botelho, reforçou, durante a 20ª Cúpula Global do World Travel & Tourism Council (WTTC), que terminou nesta terça-feira (27/04) em Cancún, México, a mensagem de é seguro voar em tempos de Covid-19 e que, para isso, há orientações internacionais, reunidas no guia CART (Council Aviation Recovery Task Force) .

O documento é resultado do trabalho conjunto de autoridades, indústria e organizações de saúde sob a coordenação da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). O trabalho definiu protocolos de saúde e segurança a servirem de referência para toda a experiência de viagem dos passageiros e serem adotados por todos os envolvidos, nos setores público e privado.

Em 22 anos trabalhando na indústria da aviação, é a primeira vez que vejo todos os envolvidos sentados à mesa juntos tentando encontrar uma saída para a crise, para que não percamos conectividade na nossa região”, disse José Ricardo Botelho.

“Os protocolos do guia CART foram construídos para dar confiança e segurança às pessoas para voltarem a voar. Se estamos aqui hoje, neste evento, é porque sabemos que estes protocolos funcionam”, completou o diretor-executivo e CEO da ALTA em sua fala durante o segundo dia da 20ª Cúpula Global do WTTC.

José Ricardo Botelho participou do painel “Viagem na faixa expressa: “Viagens seguras e descomplicadas”, mediado por Peter Greenberg, editor de viagens da CBS News. Também estiveram presentes neste painel Sean Donohue, CEO do Dallas Fort Worth International Airport; Kelly Craighead, presidente e CEO da CLIA; Andrew Wingrove, gerente-geral de aviação da CLEAR; e Ewald K. Biemans, diretor-executivo do Bucuti & Tara Beach Resort Aruba.

“Vacinas são importantes, mas não podemos esperar todos se vacinarem para voltar a viajar”, diz o diretor-executivo e CEO da ALTA

Sobre a perspectiva de retomada do turismo a partir da vacinação em massa da população mundial, José Ricardo Botelho comemorou o avanço da imunização, mas ressaltou que a confiança do passageiro não pode depender da vacinação e que medidas como quarentenas são ineficazes, além de desestimularem o turismo. Segundo ele, neste momento, informação correta é fundamental.

“Já temos vacinas contra a Covid, mas não podemos esperar vacinar toda a população para termos de volta a confiança nas viagens. Temos que oferecer ao turista as informações necessárias para evitar o medo e regras desnecessárias”, destacou Botelho.

 

Via: ALTA