O rover Perseverance da NASA vai tentar amanhã, dia 18 de fevereiro, o pouso na cratera Jezero, em Marte. Após 7 meses de viagem é chegada a hora de maior risco e tensão da missão, o complicado pouso em solo marciano.

A atmosfera marciana é muito tênue, o que dificulta muito um pouso perfeito. Mas a NASA já conta com experiências positivas em outras missões e o novo rover conta com instrumentos para auxiliar esta fase crítica da missão.

Um deles é o MEDLI2 (Mars Entry, Descent e Landing Instrumentation 2), este instrumento coleta dados do terreno e avalia qual o melhor lugar para o toque do rover.

Rover Perseverance- Foto cortesia da NASA / JPL-Caltech.

Contudo, todo o processo de reentrada, abertura do paraquedas, ejeção do escuto de calor, liberação do lander com o rover e o acionamento de seus motores tem que acontecer hora certa.

Devido a distância e a reentrada na atmosfera, os técnicos na Terra vão ter que esperar 7 longos minutos para receber o sinal do rover, essa fase crítica da missão é conhecida como: “Os 7 minutos de terror”.

Arte do pouso do Perseverance em Marte- Foto/Divulgação: NASA

“A equipe do Perseverance está dando os toques finais na complexa coreografia necessária para pousar na Cratera de Jezero”, disse Jennifer Trosper, gerente de projeto adjunto para a missão no JPL. “Nenhum pouso em Marte é garantido, mas estamos nos preparando há uma década para colocar as rodas deste rover na superfície de Marte e começar a trabalhar”, disse um membro da NASA.

Assista ao vídeo mostrando como será o pouso:

 

Cronograma para o pouso do Perseverance:

Separação do estágio de cruzeiro: a parte da espaçonave que voou Perseverance – com o helicóptero Ingenuity Mars da NASA preso à sua barriga – através do espaço pelos últimos seis meses e meio se separará da cápsula de entrada por volta das 3:38 pm EST (12h38 PST).

– Entrada na atmosfera: A espaçonave deve atingir o topo da atmosfera marciana viajando a cerca de 12.100 mph (19.500 kph) às 3:48 pm EST (12:48 pm PST).

– Pico de aquecimento: a fricção da atmosfera vai aquecer a parte inferior da espaçonave a temperaturas de até 2.370 graus Fahrenheit (cerca de 1.300 graus Celsius) às 3:49 pm EST (12:49 pm PST).

– Lançamento do paraquedas: a nave espacial lançará seu paraquedas em velocidade supersônica por volta das 3:52 pm EST (12:52 pm PST). O tempo exato de implantação é baseado na nova tecnologia Range Trigger, que melhora a precisão da capacidade da espaçonave de atingir um alvo de pouso.

– Separação do escudo térmico: A parte inferior protetora da cápsula de entrada se desprenderá cerca de 20 segundos após o lançamento do paraquedas. Isso permite que o rover use um radar para determinar a que distância está do solo e use sua tecnologia de navegação relativa ao terreno para encontrar um local de pouso seguro.

– Separação do casco posterior: A metade posterior da cápsula de entrada presa ao paraquedas se separará do rover e de seu “jetpack” (conhecido como estágio de descida) às 3:54 pm EST (12:54 pm PST). O jetpack usará retrorockets para desacelerar e voar até o local de pouso.

– Touchdown: O estágio de descida da espaçonave, usando a manobra do guindaste do céu, irá abaixar o rover até a superfície em cordas de náilon. Espera-se que o rover toque na superfície de Marte a uma velocidade de caminhada humana (cerca de 1,7 mph ou 2,7 km / h) por volta das 3:55 pm EST (12:55 pm PST).

Esquema de pouso do Rover Perseverance- Foto/Divulgação: NASA / JPL-Caltech

 

Missão Mars 2020:

Rover Perseverance- Foto cortesia da NASA / JPL-Caltech.

O Rover Perseverance tem como objetivo a busca por vida microbiana passada no solo da cratera, que no passado foi local de um grande lago.

O rover na verdade é um laboratório geológico, algumas experiências serão feitas, como coleta de materiais marcianos que serão guardados para uma futura missão de retorno a Terra. 

Planeta Marte e suas luas Deimos e Fobos-(Foto Divulgação)

Um dos experimentos é com o MOXE, um equipamento que vai transformar dióxido de carbono em oxigênio.

“Os instrumentos científicos sofisticados do Perseverance não só ajudarão na caça à vida microbiana fossilizada, mas também expandirão nosso conhecimento da geologia marciana e seu passado, presente e futuro”, disse Ken Farley, cientista do projeto para Marte 2020, da Caltech em Pasadena, Califórnia. 

“Nossa equipe de ciências tem estado ocupada planejando a melhor forma de trabalhar com o que prevemos que será uma mangueira de dados de ponta. Esse é o tipo de ‘problema’ pelo qual estamos ansiosos”.

Ingenuity Mars Helicopter- Foto: NASA

Outra novidade do Perseverance é a presença de um mini-helicóptero, o Ingenuity, será o primeiro drone a voar em outro planeta.

 

Transmissão pela NASA do pouso do Perseverance:

OBS: Dada a distância entre a Terra e Marte as imagens que forem ser transmitidas vão chegar um certo delay de 10 a 12 minutos.

 

 

Fonte de apoio: NASA/ Edição: Aeroflap