EasyJet Airbus A319
Foto: Javier Bravo Muñoz / Wikimedia

Os passageiros do voo EZY8303 da EasyJet tiveram uma ‘companhia’ diferente durante o voo de Gatwick para Menorca na Espanha. 

O Airbus A319 da EasyJet de matrícula G-EZAO partiu do Aeroporto de Gatwick em Londres por volta das 13h36, com um atraso de uma hora em relação ao horário previsto. A aeronave pousou na Ilha de Menorca às 16h44.

Na parte final para pouso na ilha espanhola, o avião da EasyJet foi escoltado por um caça da Força Aérea Espanhola, que segundo a empresa foi devido a uma segurança preventiva.

“A EasyJet pode confirmar que o voo EZY8303 de Londres Gatwick para Menorca foi escoltado por aeronaves militares ao aterrar em Menorca e atrasou o desembarque devido a verificações de segurança preventivas. Os passageiros desembarcaram desde então. gostaríamos de agradecer aos passageiros pela compreensão”, disse em comunicado. 

Para este tipo de situação, normalmente com a proximidade dos caças em geral significa que o avião civil está sendo observado e precisa seguir o caminho determinado pelos militares.

A EASA tem quatro paginas em seus manuais sobre a interceptação de aviões comerciais em seu espaço aéreo, e reforça que tem de haver um contato prévio por rádio antes da interceptação dos caças.

“A interceptação de aeronaves civis deve ser evitada e deve ser realizada apenas como último recurso. Tal manobra pode ser mal interpretada pelo interceptador como uma indicação de intenções hostis e manobras consideradas normais para uma aeronave interceptadora podem ser consideradas perigosas para passageiros e tripulantes de aeronaves civis”, diz o trecho da EASA.

Ao chegar na ilha espanhola, o Airbus A319 da EasyJet permaneceu em solo por quase quatro horas antes de realizar seu voo de retorno para Londres. Não foram encontradas irregularidades ou qualquer problema no avião.

 

 

Com informações da Simple Flying.