O primeiro P-8A da RNoAF decolando em seu primeiro voo no dia 09/08. Foto: Boeing/Divulgação.

A Boeing realizou o primeiro voo de um jato P-8A Poseidon da Força Aérea Real da Noruega (RNoAF) na última segunda-feira (09). A aeronave decolou do Aeroporto Municipal de Renton por volta das 10h03 PST (14h03 pelo horário de Brasília), fez um voo de 2 horas e 24 minutos e pousou em Boeing Field, Seattle. Durante o voo, a aeronave de patrulha marítima atingiu uma altitude de 41 mil pés. 

O voo foi realizado exatamente um mês depois que a fabricante apresentou o primeiro P-8 norueguês com a pintura completa, logo depois que a aeronave foi retirada da oficina em Renton. 

“Este voo inaugural é um marco importante para a Noruega, e a equipe da Boeing continua comprometida em entregar a frota de P-8 à Agência Norueguesa de Materiais de Defesa (NDMA) dentro do cronograma”, disse Christian Thomsen, gerente do programa P-8 na Europa.

O primeiro voo marca a próxima fase do ciclo de produção desta aeronave à medida que ela é movida para as instalações de Instalação e Check-out, onde os sistemas de missão serão instalados e testes adicionais serão realizados antes da entrega final para a NDMA ainda em 2021, informa a companhia. 

“O P-8 é uma capacidade que ajudará a Noruega a melhorar a guerra antissubmarino, guerra antissuperfície, inteligência, vigilância e reconhecimento e missões de busca e resgate, além de promover valiosa colaboração regional e interoperabilidade com as nações da OTAN”, completou Thomsen. 

O Poseidon de matrícula 9582 recebeu o nome de batismo Vingtor, sendo um dentre cinco unidades adquiridas pela Noruega para substituir seis P-3C Orion e três Dassault DA-20 Falcon nas missões de patrulha. Os outros P-8 serão chamados de Viking, Ulabrand, Hugin e Munin, dando continuidade à uma tradição norueguesa de quase 80 anos. Os mesmos nomes, oriundos da mitologia nórdica, foram usados ​​nas aeronaves PBY-5 Catalina da Noruega durante a Segunda Guerra Mundial. 

O primeiro P-8A da Noruega sendo retirado da oficina de pintura em julho. Foto: Boeing/Divulgação.

A Boeing destaca que, até o momento, já entregou 136 aeronaves P-8 para a Marinha dos Estados Unidos, a Força Aérea Real Australiana, a Marinha Indiana e a Força Aérea Real do Reino Unido. A Noruega é uma das oito nações que escolheram o P-8A como sua aeronave de patrulha marítima, junto com os Estados Unidos, Índia, Austrália, Reino Unido, Coréia do Sul, Nova Zelândia e Alemanha.

DEIXE UMA RESPOSTA