Voo fretado do Flamengo com o Learjet 35 da Sete é impedido de sobrevoar o Peru, e retorna ao Brasil

Foto: Maycon Jorge

Os times de futebol estão buscando facilitar o transporte entre as cidades e os países caso disputem competições internacionais. No caso do Flamengo, o clube fez um acordo de transporte dentro do Brasil para o Campeonato Brasileiro com a Azul Linhas Aéreas.

Buscando especialmente a segurança dos atletas e comissão técnica, afim de evitar maiores contatos com o público em meio a Covid-19. O Flamengo também fechou contrato com a GOL para o transporte na competição continental, a Taça Libertadores da América. O time foi levado pela companhia na semana passada em um Boeing 737-800, de matrícula PR-GGE.

Está em solo em Quito um outro Boeing 737-800 da GOL para trazer de volta os jogadores que não estão infectados. Trata-se do PR-GUX, que partiu de São Paulo (GRU) às 16h30 (hora local) e chegou por volta de 20h44 em Quito (UIO).

Entretanto, mesmo com os cuidados da diretoria e comissão técnica o time teve jogadores infectados após o último jogo em Quito na quinta-feira (17/09). Devido ao contágio o Flamengo teve de trazer outros jogadores da base e fazer um novo planejamento logístico.

Os jogadores infectados estão isolados e serão levados de volta ao Rio de Janeiro antes dos demais. Para isso o Flamengo contratou o transporte aeromédico da SETE, que conta com uma ampla estrutura para transporte de infectados com a Covid-19. O escalado foi o PT-LOE, um Learjet 35A.

A aeronave decolou de Manaus por volta de 04h30 (hora local), e às 05h39 já a 40 mil pés precisou retornar ao Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus.

A aeronave não teve autorização para fazer o sobrevoo pelo Peru e teve de retornar. A bordo segundo informações ainda para confirmar, estavam os jogadores da base que foram escolhidos para completar o elenco que está no Equador, para a partida contra o Barcelona de Guayaquil. 


Nesses casos são necessários os pagamentos de taxas para sobrevoo no país onde a rota foi traçada e também de uso do espaço no Aeroporto de chegada. Ainda não se sabe como ou quando esses jogadores chegarão até Guayaquil e se chegarão a tempo da partida que será hoje(22/09) as 19h15(hora de Brasília).

Esses voos geralmente tem valores grandes para serem pagos, o Flamengo constatou apenas ontem na contraprova que seus atletas estavam com a Covid-19. Com pouco tempo para planejar e executar, o que se apurou até o momento é que não houve ou não foi constatada o pagamento da taxa de sobrevoo no Peru.

 

A escolha da SETE

Como os atletas estão com a Covid-19 confirmados, o transporte terá de ser feito de forma a evitar que o vírus se propague a outras pessoas. A SETE tem toda estrutura de transporte para garantir a segurança dos passageiros em transporte e da tripulação.

Foto: Maycon Jorge

Para acomodar e realizar o transporte, equipamentos como a maca estão disponíveis a bordo para o transporte seguro. Além da maca, a empresa utiliza uma bolha para se evitar o contato direto do passageiro infectado com a equipe médica e da tripulação.

Pensando nos cuidados e na segurança foi que o Flamengo contratou a SETE para o transporte de seus atletas infectados. Porém houve mais dois casos confirmados da Covid-19 na comissão técnica do clube o que vai fazer com que toda a logística seja mudada.

 

DEIXE UMA RESPOSTA