Foto - Infraero

O Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre, em Macapá (AP), completa 39 anos sob a administração da Infraero na próxima segunda (12/3). Para comemorar mais um aniversário, o terminal vai realizar uma sessão de contação de histórias e uma visita guiada com as crianças da Escola Estadual Modelo Guanabara, que fica no entorno do aeroporto.

A escritora Ângela de Carvalho, que também é contadora de histórias, promete encantar e sensibilizar as crianças através do seu livro “Pescadores de sonhos”. A obra trata da temática do trabalho infantil, da importância dos livros, da leitura e das bibliotecas na vida dos pequenos. Na ocasião também serão distribuídos gibis da Turma da Mônica com temas relacionados à segurança de voo, numa parceria entre a Infraero e o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).

Ainda em comemoração à data, fotos do aeroporto e suas operações estarão expostas no hall de entrada do terminal. De iniciativa da Agência Comunicartes, a exposição é composta por quatro imagens produzidas durante as edições do Spotter Day de 2017. O evento destinado a fotógrafos profissionais e amadores apaixonados pela aviação permitiu o acesso às áreas restritas de segurança para o registro da movimentação das aeronaves em pousos e decolagens.

De acordo com a superintendente do aeroporto, Keyla Paula de Moraes, ações sociais que envolvam a comunidade são sempre muito gratificantes. “É uma alegria para nós ver o terminal movimentado, principalmente para celebrar mais um aniversário. Ter as crianças envolvidas nessa comemoração é a certeza de que estamos construindo uma sociedade com olhares mais humanos”, afirma Keyla.

De acordo com dados da Infraero, em 2017 o aeroporto movimentou 576,2 mil passageiros, entre operações de embarque e desembarque.

Histórico

A história do Aeroporto Internacional Alberto Alcolumbre começou a ser escrita na década de 1930, durante a Segunda Guerra, quando os Estados Unidos buscaram uma composição com o Brasil para construção de bases aéreas militares. Alguns anos mais tarde, em 1943, na época do antigo Território Federal do Amapá, o então governador Pauxi Nunes convidou o coronel Belarmino Bravo, da Força Aérea Boliviana, para fundar o Aeroclube de Macapá, para desenvolver, basicamente, atividades sociais e recreativas.

Com a instalação do Serviço de Aeronáutica (Saer), em 1953, composto por um hangar, um avião Bonanza Beechcraft A36 e um campo de pouso, a sistematização de frequência de voos ficou consolidada. O avião foi adquirido com o objetivo de atender com mais rapidez a cobertura dos serviços administrativos do governo e, ao mesmo tempo, auxiliar a população no transporte de medicamentos para o interior ou de pessoas doentes para Belém (PA).

No ano de 1956 foi criado, no Aeroclube do Macapá, o curso de piloto de aeronaves; dois anos depois, em 1958, ocorreu a transferência das atividades aeroportuárias do campo de pouso, então existente na Avenida FAB, para a atual base do Aeroporto Internacional de Macapá.

A partir de fevereiro de 1979, o Aeroporto Internacional de Macapá passa a ser administrado pela Infraero. Desde então, várias melhorias foram realizadas, como a troca do piso e do forro, além da reforma de sanitários do terminal de passageiros, assim como a construção de módulos operacionais para as salas de embarque e desembarque, a revitalização da fachada e o início das obras do novo terminal de passageiros e do pátio de aeronaves.

This post is available in: pt-brPortuguês