Heathrow é um aeroporto bastante movimentado de Londres e que sofre com um pequeno problema de limitação nas posições de decolagem e pouso, problema esse causado pelo arranjo de pistas do local. O A380 possivelmente está sendo a chave para contornar esse pequeno impasse.

De acordo com os dados de 2016 divulgados pelo Aeroporto Heathrow, em Londres, 10% de todos os passageiros que viajaram utilizando Heathrow no ano passado chegaram ou partiram em um A380. Isso equivale a mais de sete milhões de passageiros, um aumento substancial quando comparado com 2015 que registrou somente 8%, e 2014 com somente 6% do movimento com o A380.

O A380 é omnipresente em Heathrow, e é utilizado pela British Airways, Emirates, Etihad Airways, Malaysia Airlines, Qantas, Qatar Airlines, Singapore Airlines e Thai Airways. Estas aeronaves voam para 14 destinos a partir de Heathrow, incluindo Los Angeles, Cingapura e Dubai. Um número limitado porém significante, dado a capacidade de transporte do A380.

“Como o tráfego aéreo duplica a cada 15 anos, e 90% dos passageiros de longo curso estão viajando entre 55 cidades em todo o mundo, o A380 é a melhor aeronave para capturar a demanda de pico, aliviando o congestionamento do aeroporto e impulsionando operações de hub”, disse o COO da Airbus, John Leahy.

Leahy acrescentou que o volume de passageiros do A380 em Heathrow deverá chegar a 12% em 2017, e o crescimento em números de passageiros voando em A380 é antecipado em outros aeroportos de hub no mundo, como Los Angeles, Nova York/JFK, Hong Kong e Cingapura.

Ele também fez uma outra observação, mesmo com somente 200 aeronaves em operação no momento, um A380 decola ou pousa em algum lugar no mundo a cada 2 minutos e meio. Certamente o Heathrow é um aeroporto muito movimentado, com aproximadamente 75 milhões de passageiros em 2015, e que tem sua operação limitada a somente duas pistas individuais.

COMPARTILHAR