Para quem curte o setor aeroespacial, sabe bem que os foguetes da Arianespace estão entre os mais confiáveis do mundo, junto com a dupla russa Soyuz/Progress. O foguete é tão confiável que eles comumente levam satélites de bilhões de dólares a bordo, em missões que não podem falhar (ou a conta do bar irá sair cara).

Mas foi nesta quarta-feira (28/06) que a 80ª missão consecutiva com sucesso da Arianespace foi realizada, lançando um foguete Ariane 5 diretamente do Centro Espacial da Guiana, na Guiana Francesa, carregado com dois satélites, o Hellas Sat 3, e o GSAT-17.

Os lançamentos do Ariane 5 começaram em 2003, só nos últimos 14 anos a empresa já colocou mais de 160 satélites em órbita, sem nenhuma falha, 134 desses foram operar em órbita geoestacionária, enquanto 26 estão em outras órbitas.

Este lançamento também marca o 7º realizado pela empresa em 2017, incluindo as missões que levaram um satélite da Sky para cobrir a região do Brasil com TV a Cabo via satélite, o satélite SKY BRASIL-1, substituindo os equipamentos que a empresa utilizava lá no espaço desde 2000 e 2007. Outra missão realizada pela empresa foi o lançamento do satélite geoestacionário SGDC, o primeiro do tipo de propriedade total do Governo Brasileiro.

Agora a Arianespace precisa se preparar para os outros cinco lançamentos em 2017, sendo três deles com o foguete Ariane 5, e dois com o Vega.

 

 

Hellas Sat 3-Inmarsat S EAN

O satélite foi construído pela Thales Alenia Space, em Cannes, no sul da França, utilizando uma plataforma Spacebus 4000 C4. Ele é capaz de fornecer serviços de transmissão de TV a Cabo usando 47 transponders em banda Ku e um transponder de banda Ka.

O equipamento é dividido em duas partes, pois o Inmarsat S EAN opera na banda S para fornecer serviço de internet em voo de alta velocidade para aeronaves. Ao todo as antenas do satélite são capazes de cobrir a área da Europa, Oriente Médio e África, através da órbita geoestacionária.

Massa total do equipamento é de 5780 kg, com vida útil de 15 anos. Sua capacidade tripla o torna um dos mais potentes da categoria.

 

GSAT-17 

O satélite foi construído pelo ISRO/ISAC (Centro de Satélites ISRO) na Índia, utilizando uma plataforma Standard I-3K. O satélite tem transponders na banda C e S, bem como antenas para retransmissão de dados para busca e resgate (SAR) na banda UHF.

Esse também é outro satélite que assumirá a órbita geoestacionária, com inclinação 93,5° W, ele serve basicamente para fornecer serviços de comunicação de internet para a região da índia, bem como retransmitir mensagens de busca e salvamento (SAR), em situações de risco.

A massa total do satélite é de 3476 kg, com vida útil de 15 anos.

This post is available in: pt-brPortuguês