A Azul anunciou hoje (14/08) seus resultados para o segundo trimestre de 2017 (2T17). As informações financeiras apresentadas a seguir, exceto onde indicado, estão de acordo com as normas contábeis IFRS (International Financial Reporting Standards) e em reais.

No segundo trimestre deste ano a Azul conseguiu obter R$104,9 milhões de lucro operacional, um valor bem superior ao mesmo período do ano passado, registrando também o melhor desempenho de lucro no segundo trimestre para a Azul, em toda a sua história. No primeiro semestre a Azul registoru lucro operacional de 310 milhões de reais.

Ao mesmo tempo a Azul conseguiu aumentar em 21% o número de passageiros transportados no segundo trimestre de 2017, enquanto a oferta cresceu 18%, comparando com o mesmo período do ano passado. Por causa desse resultado a taxa de ocupação da companhia no período foi de 80,9%, aumento de 1,9 pontos percentuais comparado com o 2T16. Destaque para a ocupação de 92% no mercado internacional.

As despesas operacionais por ASK excluindo combustíveis (CASK ex-fuel) diminuíram em 8,1%, enquanto que o CASK diminuiu em 4,9%, apesar do aumento de 11,2% no preço de combustível por litro. Adicionalmente ao crescimento de dois dígitos na capacidade, a receita total por ASK (RASK) e a receita de passageiros por ASK (PRASK) aumentaram em 1,2% e 1,7% na comparação anual, totalizando 28,93 centavos e 24,92 centavos, respectivamente.

As despesas financeiras líquidas diminuíram em 33,8%, de R$168,8 milhões para R$111,8 milhões, devido ao menor custo médio da dívida e ao pagamento de empréstimos mais caros. Só no segundo trimestre de 2017 a Azul teve uma receita equivalente a 42,4% dos últimos 12 meses.

A frota operacional da Azul contava com 123 aeronaves no final do trimestre, incluindo 8 aeronaves de nova geração, o Airbus A320neo.

 

Veja mais detalhes na tabela abaixo:

This post is available in: pt-brPortuguês