A Norwegian Air virou destaque ultimamente devido a um recorde de velocidade de voo transatlântico com o Boeing 787, durante um voo de Nova York (JFK) e Londres (Gatwick) que ocorreu no dia 15 de janeiro.

O trajeto de aproximadamente 5584 km foi cumprido em apenas 5 horas e 13 minutos, o que dá uma média de 1088 km/h, uma velocidade bem superior ao Mach 0.85 de cruzeiro do Boeing 787.



Isso só foi possível devido aos fortes ventos de cauda encontrados durante a rota, vale lembrar que voando no sentido leste, acima do Trópico de Câncer, o avião é facilmente afetado por correntes de jato.

O vento de cauda é indesejável em pousos e decolagens, pois aumenta a velocidade necessária e exige maior comprimento de pista. Mas em altitude de cruzeiro o efeito é ao contrário, possibilitando uma maior velocidade de voo para a aeronave, muitos dizem que “é como se o vento estivesse empurrando o avião”.

O voo Norwegian 7014 chegou 53 minutos antes do previsto, nesse caso o avião precisaria voar com uma média de 921,45 km/h para chegar no tempo informado.

Isso também quebrou o recorde anterior de um voo transatlântico não supersônico que tinha sido operado pela British Airways. Em 2015 um Boeing 777 da companhia levou de 5 horas e 16 minutos entre Nova York e Londres, de acordo com a Sky News e outros meios europeus de comunicação.

“Ficamos realmente no ar pouco mais de cinco horas e, se não tivesse sido por turbulência prevista em altitude mais baixa, poderíamos ter voado ainda mais rápido”, disse o comandante Harold van Dam, um dos pilotos do voo, em um declaração emitida pela Norwegian.