Foto - AFP
Foto – AFP

De acordo com a rede televisiva estatal da Coréia do Norte, o país conseguiu realizar o lançamento de seu primeiro foguete de longo alcance, em uma província ao norte de Phyongan. O foguete Kwangmyongsong-4 teria entrado em órbita 10 minutos após o lançamento, levando consigo uma carga de um satélite de 200kg, um bem menos do que o peso comum para um equipamento de grande porte. Esse valor é o dobro da carga lançada em 2012 pela Coréia do Norte, ou seja, houve uma evolução no programa Kwangmyongsong nos últimos anos.

A TV Estatal norte coreana também afirmou que o foguete com a carga foi uma encomenda do líder Kim Jong-un, e que no programa espacial do país é possível lançar mais satélites no futuro. O Ministério da Defesa Sul Coreano afirmou que foi detectado o lançamento às 09:31 no horário local, por um navio de guerra que estava na costa do país.

Satélite enviado no Kwangmyongsong-3, seu peso é estimado em 100kg.
Satélite enviado no Kwangmyongsong-3, seu peso é estimado em 100kg.

De acordo com as conclusões do satélite que já está na órbita da Terra, a sua altitude mais baixa é de 465 km e a mais alta de 502 km. Ele é capaz de passar pelo mesmo ponto da terra a cada 4 dias e realiza uma volta a cada 94 minutos. O satélite tem por volta de 1 metro e meio, pesando quase o dobro do anterior, com aumento também no tamanho, ele é coberto por painéis solares e tem funções para sensoriamento remoto, cuja tarefa é tirar fotos da superfície da Terra. Na prática, portanto, é um satélite de espionagem primitivo.

O foguete tem um tamanho estimado em 30 metros e pesa no total 90 toneladas. Não foi esclarecido se a Coréia do Norte está utilizando combustível líquido ou sólido no Kwangmyongsong-4.

Foi convocado um comitê de emergência pela ONU, formado por Japão, Coreia do Sul e os EUA. De acordo com a Coréia do Sul, há possibilidades de o uso real do foguete norte coreano ser para uso militar, tais como o uso de satélites espiões e lançamento de ogiva nuclear com grande alcance, o país sul coreano quer implantar um sistema anti mísseis para defesa própria.

Enquanto isso a Coréia do Norte afirma que seu programa de satélites é, no entanto, de uso científico. Sua parceira comercial, a China, diz que o desenvolvimento do programa espacial Kwangmyongsong é para criar mísseis inter continentais.

 

Vídeo do lançamento:

COMPARTILHAR