A Airbus precisará remanejar, ou demitir, alguns funcionários que trabalham atualmente na linha de montagem do A400M e do A380.

A redução na produção dessas aeronaves causará o corte de 3700 empregos, entre os fornecedores e a linha de produção final, de responsabilidade da Airbus.

A produção do A380 será de seis aviões por ano, e do A400M de oito aeronaves. Esse corte foi informado ao European Works Council, como medida preventiva para a economia do continente.

A produção declinará gradualmente, em 2018 a Airbus ainda planeja produzir 12 aviões do modelo A380, e 15 do modelo A400M. Já em 2019 a fabricante diminuirá para 8 e 11 aviões, respectivamente, antes de estabilizar nos números informados acima.

A Airbus espera que consiga realocar boa parte dos trabalhadores em outras linhas de produção que estão em expansão, como a do A320neo, a capacidade dessa linha está em expansão, atualmente a Airbus pode produzir até 52 aviões da família A320 por mês, mas planeja expandir essa capacidade para 58, a partir de 2019.

This post is available in: pt-brPortuguês