A Embraer pretende colocar 1.080 empregados da unidade de São José dos Campos (SP) em regime de layoff a partir de janeiro de 2017. O número é menor que o apresentado pela empresa em novembro passado, que previa colocar cerca de 2 mil trabalhadores. Em layoff, o contrato de trabalho é suspenso temporariamente, mas o empregado continua a receber o salário.

Segundo a Embraer, o objetivo da medida é a preservação dos postos de trabalho e ajustar o rtimo de produção diante da queda da demanda global.

“Como informado ao longo dos últimos meses, as dificuldades decorrentes do cenário adverso do mercado aeroespacial e de defesa e segurança tem demandado um ajuste rápido e efetivo da operação, dos custos e despesas da Embraer. A empresa tem avançado bem na redução das despesas gerais e o layoff é mais uma ação que vai contribuir para superação do atual momento em busca da retomada do crescimento”, diz nota da empresa.

Os funcionários que fazem parte do programa de qualificação profissional receberão uma ajuda compensatória mensal para que a renda, durante o período, seja equivalente ao do salário líquido.

A suspensão temporária de contrato de trabalho será implementada no período de janeiro de 2017 até dezembro de 2018. Cada grupo de trabalhadores deverá ficar de dois a cinco meses sem trabalhar. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, a proposta da empresa será submetida à assembleia dos trabalhadores, já marcada para a próxima terça-feira (20), em frente à sede da Embraer.

Segundo a entidade, se aprovada, todos os trabalhadores com contrato suspenso terão estabilidade garantida durante o período e mais três meses após o retorno à fábrica. As áreas de montagem da aviação comercial e executiva serão atingidas.

 

Fonte – Agência Brasil 

COMPARTILHAR