Foto - Força Aérea Brasileira

O Boeing 767, do Esquadrão Corsário da Força Aérea Brasileira (FAB), decolou da Ala 13, em Guarulhos (SP), com destino ao México, transportando cerca de 10 toneladas de materiais doados ao país. A aeronave desembarcou, nesta segunda-feira (13/11), em Tuxtla Gutiérrez, capital de Chiapas, localidade que foi o epicentro do terremoto que ocorreu em setembro deste ano.

“É motivador participar de uma missão nobre como essa. Poder levar ajuda e conforto aos nossos irmãos mexicanos me engrandece muito como militar e como pessoa”, expressou o Comandante da missão, Tenente-Coronel Elton David França.

Foto – Força Aérea Brasileira

A missão, que conta com o apoio do Fundo de Solidariedade de São Paulo, da Defesa Civil do Estado de São Paulo e da Receita Federal, tem como objetivo levar ajuda às áreas afetadas, por meio da doação de kits dormitório, materiais de higiene pessoal e de limpeza, material escolar, roupas, fornos e utensílios de panificação.

De acordo com o Capitão da Polícia Militar Walter Cabello Neto, coordenador da doação pela Defesa Civil, em tragédias como esta que assolou o México, os desabrigados passam por dificuldades básicas que aumentam o estresse e o risco de proliferação de doenças. “Essa coordenação entre várias organizações para dar assistência às vítimas dos terremotos que pretende minimizar os efeitos da tragédia é uma ação humanitária e ficamos honrados em poder colaborar”, ressaltou.

Foto – Força Aérea Brasileira

Doze militares da FAB participam da missão, entre eles os sargentos Bruno Andrade Ramos e Maycon Felipe de Moraes Soares, que fizeram um curso de capacitação na padaria artesanal do Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, com o intuito de aprender técnicas de panificação e de utilização dos fornos e utensílios doados ao México.

“É muito gratificante poder ajudar e levar esperanças a um povo que está em dificuldade. Agora somos agentes multiplicadores, vamos repassar o que aprendemos aos sobreviventes do terremoto. Em situações como essas é importante ensinar a tarefa. Com o material de padaria eles poderão, além de fabricar seu próprio alimento, vender e, com isso, obter alguma renda para sua sobrevivência”, concluiu o Sargento Andrade.

 

Via – Força Aérea Brasileira

COMPARTILHAR