O documentário Voo 1907 – 10 anos depois está disponível, a partir desta quinta-feira (29/09), no canal do Youtube da FAB. Dividido em oito capítulos e com duração de cerca de 40 minutos cada, a produção relembra a maior operação de resgate da Força Aérea Brasileira (FAB), que teve duração de 44 dias na selva amazônica.

Ao todo 24 pessoas foram entrevistadas no documentário, entre militares, familiares das vítimas e civis de organizações que auxiliaram no trabalho, como o Instituto Médico Legal (IML). São relatos emocionantes de militares especializados em Busca e Salvamento, além de pilotos e comandantes de unidades envolvidas na operação.

Todos destacaram o desafio de se infiltrar num ambiente inóspito, como a selva amazônica, e montar uma espécie de quartel general na Fazenda Jarinã, ponto mais próxima da queda da aeronave, no norte do Mato Grosso. “Foi uma verdadeira operação de guerra”, afirma o suboficial Júlio Carvalho.

O terceiro capítulo, denominado Esperança, revive a expectativa dos primeiros militares que chegaram ao local do acidente em menos de 24 horas depois do acidente. Segundo o ex-comandante do Para-Sar, Coronel Moreira Lima, como não se sabia ao certo o que havia acontecido com o avião comercial, havia expectativa de sobreviventes. “É como uma mãe, a gente sempre acha que vai ter alguém lá”, justifica.

Batizado como 10 anos depois, o último capítulo do documentário mostra trechos de alguns militares que puderam voltar ao local da tragédia, e a homenagem feita para as vítimas e quem trabalhou lá. Profissionais também relataram como essa operação ficou marcada na vida de quem esteve envolvido. “Entendi que esse trabalho é importante uma pessoa tentar entender por que a vida dela mudou”, acrescenta o coronel da reserva, Rufino Ferreira.

O documentário foi coordenado por jornalistas, publicitários e relações públicas do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER).

 

Assista o primeiro capítulo abaixo:

 

Fonte – Força Aérea Brasileira 

COMPARTILHAR