O Aeroporto de Joinville/Lauro Carneiro de Loyola (SC) conta com mais um procedimento de pousos. A novidade torna as aproximações menos suscetíveis às condições climáticas, por meio de uma navegação vertical estabilizada, aumentando, assim, a segurança das operações.

É o Performance de Navegação Requerida – Autorização Requerida (RNP-AR), um procedimento de aproximação por instrumentos que independe de equipamentos instalados em solo para pousar. Com descidas mais lineares e constantes, o novo procedimento também promove redução nas distâncias voadas, o que significa menor consumo de combustível, menos emissão de gás carbônico e maior eficiência operacional.

No caso de Joinville, foram elaborados procedimentos RNP-AR para as duas cabeceiras do aeroporto. No entanto, o maior ganho operacional será para as aproximações na pista 15, que contarão com guia vertical, com mínimos operacionais menores, de 600 para 300 pés, e as aeronaves não mais precisarão tentar o pouso em condições desfavoráveis de vento de cauda.

O primeiro voo a utilizar o RNP-AR em Joinville, da empresa aérea Latam, voo JJ3091 com origem do aeroporto de Congonhas em São Paulo, aterrissou no terminal catarinense, nesta quinta-feira (9/11), por volta das 14h. O pouso foi acompanhado pelo prefeito da cidade, Udo Döhler, além de representantes da Infraero, do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo II (CINDACTA II), do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e da Latam.

O superintendente do Lauro Carneiro de Loyola, Rones Rubens Heidemann, explica que o terminal aumentará significativamente a sua acessibilidade e segurança operacional. “A expectativa é que a operação RNP-AR em Joinville diminua o cancelamento de voos e aumente a confiança das empresas aéreas e dos passageiros, de modo que a utilização desse aeroporto possa aumentar a cada ano, trazendo maior desenvolvimento para a cidade e mais benefícios para toda a população”, afirma.

 

 

Via – Infraero

COMPARTILHAR