Os olhos estão voltados novamente para a Rússia, pois foi feito o primeiro voo de prova do novo caça russo, o Mig 35. O estudo para o novo caça foi planejado a partir do antecessor MIG29M/K, um caça com capacidade para operar no meio aeronaval. A nova plataforma de combate russa contará com a capacidade para combates ar-ar, ar-mar e ar-terra.

O MIG 35 vem para completar a saga do irmão mais velho e um ícone da aviação militar, o Mig 29. Este último tem um custo operacional elevado, apesar disso o novo caça conta ainda com a capacidade de alta manobrabilidade, o que já se vê em outros caças russos, e é apto a operar em pistas pouco preparadas.

Por videoconferência o Presidente Russo Vladimir Putin assistiu o primeiro voo do caça e demonstrou confiança no Mig 35, inclusive para a exportação, além de parabenizar os engenheiros russos. Uma das propostas em relação ao novo MIG é a possível substituição da frota mundial de MIG 29, que é usado em mais de 30 países.

Havia uma expectativa para iniciar a montagem das primeiras unidades do novo MIG no próximo anos, porém com alguns atrasos na fabricante russa UAC (United Aircraft Corporation), foi obrigada a adiar o início das entregas para 2019.

Foto – UAC/Reprodução

Partindo para o cenário de combate que o caça irá ser empregado, seu projeto foi visado para que ele opere em um cenário onde exista uma força de defesa antiaérea forte, além da aeronave receber oito pontos de armas em suas asas e fuselagem, o que pode ser de grande aproveito para o arsenal russo de armamentos, além de incorporar o uso de armamentos a laser, que ainda está em desenvolvimento.

O MIG 35 se encaixa na geração 4++, grupo no qual o caça russo entra encontra-se com outros caças multifunção como o francês Dassault Rafale e o norte americano Boeing F/A- 18 E/F. A Rússia também tem outro caça da mesma geração, o Sukhoi Su-35. O sueco Saab Gripen E/F (NG), também está nessa geração.

COMPARTILHAR