Depois de anunciar um motor de fabricação russa para o CR929, a CRAIC agora disse que planeja abrir uma concorrência para escolher um motor da GE ou Rolls-Royce que equipará o novo avião.

“Em 21 de dezembro de 2017, o pedido de propostas para o sistema de propulsão do CR929 foi emitido”, disse a sócia COMAC, em uma declaração original de língua chinesa divulgada no Singapore Airshow.

A empresa já planejava uma versão de motor para “ocidentalizar” o jato, e atender aos pedidos das companhias aéreas que já operam com motores GE e Rolls-Royce, tal ação reforça a confiabilidade na reposição de peças e também padroniza a operação da companhia.

O projeto preliminar estima um motor entre 71000 a 75000 lbs de cada motor, a GE atua nessa faixa através do GEnx, um projeto com mais de 15 anos, e a Rolls-Royce fornece o XWB para a Airbus nessa faixa, ou até mesmo o Trent 7000. Nenhuma das duas empresas declararam se há um planejamento de fornecer um motor totalmente novo.

O avião foi apresentado recentemente, em 2017, mas já desperta o interesse das companhias aéreas chinesas, que ganham incentivo fiscal e financeiro ao operar com aviões de fabricação nacional. O país fez a mesma manobra usando o C919, este fabricado somente pela COMAC.

A primeira encomenda será recebida durante um evento de aviação na China, que acontecerá em novembro deste ano, por enquanto a aeronave ainda está em fase pura de projeto.

Foi definido que o projeto ficará totalmente a cargo dos russos, visto que o centro de design se localizará em Moscou, na sede da UAC. Os chineses vão organizar a parte de fabricação, marketing, vendas e pós-venda, além de gerenciar processos administrativos do programa. Uma boa divisão, visto que os russos não gostam muito de marketing.

No final as duas empresas se uniram na CRAIC (China-Russia Commercial Aircraft Corporation), quando a produção estiver sendo realizada em série o par de asas, a seção de cauda e as estruturas em materiais compostos serão fabricadas em Moscou, enquanto a Comac produzirá a fuselagem e realizará a montagem final dos componentes.

 

Variantes

O novo avião receberá um nome tipicamente da Comac, ele se chamará CR929, e terá três variantes no total com alteração de tamanho entre elas, transportando de 250 a mais de 300 passageiros. Esse é mais um claro indício que o avião vem para substituir o Boeing 787 pelo menos nas companhias aéreas da China.

  • O CR929-500: É a menor versão, conta com capacidade para 250 passageiros em três classes, na configuração típica da Comac. A autonomia máxima será de 14000 km em informações preliminares.
  • O CR929-600: É uma versão intermediária, com capacidade para transportar até 280 passageiros em três classes. A autonomia máxima será de 12000 km.
  • O CR929-700: É a versão de maior capacidade, leva até 320 passageiros em três classe. Com o alcance de 10000 km, pouco se comparado com o 787-10.

 

This post is available in: pt-brPortuguês