Assim como John F. Kennedy fez na década de 60, o atual presidente americano Barack Obama também fez um pronunciamento sobre metas sobre o setor espacial. Em 1962 Kennedy prometeu que o Estados Unidos estaria na Lua até o final da década, nessa vez Obama prometeu que os americanos terão astronautas em Marte até 2030.

“Estabelecemos um objetivo claro vital para o próximo capítulo da história dos Estados Unidos no espaço: enviar seres humanos para Marte por volta de 2030 e devolvê-los com segurança à Terra, com o objetivo final de um dia ficar lá por um longo tempo”, disse Obama em um artigo de opinião para a CNN.

Nesses anos que passaram, e com o avanço da tecnologia, ir para o espaço se tornou algo “barato” e o índice de segurança também aumentou com novas pesquisas na área. Obama cita fatores como a Guerra Fria e outros confrontos entre países como o motivo para Marte ter sido um planejamento tão distante entre 1980 e 2010, quando anunciou que planejava levar humanos para o planeta vermelho.

sls_block_1b_poster-expanded
Novo sistema SLS de responsabilidade da NASA

A programação de Obama é trabalhar em conjunto com o setor privado para realizar o melhor projeto possível de ida a Marte, atualmente nos Estados Unidos a NASA e a SpaceX, essa última uma empresa privada, tem planos para enviar humanos a Marte.

A NASA está evoluindo o seu programa SLS (Space Launch System), um novo sistema de lançamento baseado na cápsula Orion, fabricada pela Lockheed Martin. A SpaceX apresentou recentemente seu projeto ITS (Sistema de Transporte Interplanetário).

O governo poderá gastar uma enorme quantia de dinheiro nesses projetos, estimados em US$25,4 bilhões, muito quando comparamos com o programa Apollo que saiu quase do zero e poderia custar US$150 bilhões atualmente. O uso de empresas privadas também permite que a NASA se concentre em outros projetos enquanto administra o primeiro pouso em Marte.

ctzwhsexeaamvup
Projeto ITS da SpaceX para explorar outros planetas em projeção

A Boeing, Lockheed Martin, SpaceX e NASA são os principais destaques do setor aeroespacial do Estados Unidos, atualmente a Boeing, sob encomenda da NASA, e a SpaceX trabalham em um veículo para levar americanos até a Internacional Space Station. A Lockheed, sob encomenda da NASA, e a SpaceX trabalham em veículos para explorar o espaço profundo.

Dito isto, ainda há muito mais a ser feito. De acordo com o Conselho Nacional de Pesquisa, os EUA ainda não estão alocando fundos públicos suficientes para atingir as metas elevadas do presidente Obama. Mesmo assim, é claro que o presidente Obama quer inspirar a nação assim como o presidente Kennedy fez em sua 1961 “Nós escolhemos ir à Lua”, em um discurso histórico do John F. Kennedy.

O congresso americano também criticou a postura do presidente junto à NASA, afirmando que falta um planejamento de longo prazo feito por um pessoal competente, de acordo com o congresso um bom projeto precisa de marcos viáveis para ter sucesso.

Foto - Oregon State University/Via Flickr
Foto – Oregon State University/Via Flickr

Obama se movimentou e disse que convocaria os principais cientistas, engenheiros e inovadores em Pittsburgh o mais breve possível para “inventar maneiras de construir sobre o nosso progresso e encontrar as próximas fronteiras”. Em um pronunciamento no dia 13 de outubro Obama também afirmou que a ciência é a grande responsável por evoluir o país, e que o só tem Estados Unidos a atual posição por causa do investimento em pesquisa ao longo da história.

O presidente Obama também escreveu para a CNN: “Espero que vou colocar meus próprios netos sobre meus ombros. Ainda vamos olhar para as estrelas, como seres humanos fazem desde o início dos tempos. Mas em vez de aguardar ansiosamente o retorno de nossos intrépidos exploradores, vamos saber que por causa das escolhas que fazemos agora, eles foram para o espaço não só para visitar, mas para ficar – e vão fazer isso para tornar nossa vida melhor aqui na Terra.”

 

Veja mais em:

Elon Musk apresenta ambicioso plano da SpaceX para explorar o universo

 

COMPARTILHAR