O grande tumulto do final de semana nos aeroportos dos Estados Unidos foi causado pela Delta, de acordo com a declaração do presidente americano Donald Trump  nesta segunda-feira (30/01).

Os grandes problemas nos aeroportos foram causados pela interrupção dos computadores da Delta, os manifestantes e as lágrimas do senador (Chuck) Schumer”, disse Trump via Twitter.

Trump escreveu no Twitter que apenas 109, de um total de 325 mil pessoas, “foram detidas para o interrogatório” depois da entrada em vigor do decreto que bloqueia a entrada nos EUA de cidadãos de sete países.

O secretário da Segurança Interna, John Kelly, “disse que está tudo a correr bem, com muito poucos problemas”. Já em seu Twitter pessoal Trump disse: “A América tem que voltar a ser segura, tentar encontrar terroristas antes de eles entrarem no nosso país não é agradável. Mas vejam o que se passa no resto do mundo!”, acrescentou Trump.

E, ainda na sexta-feira, após o anúncio do decreto, o senador democrata Chuck Schumer tweetou: “Correm lágrimas pela face da Estátua da Liberdade”.

Uma avaria na parte de informática da Delta no domingo de noite provocou atrasos nas partidas, além do cancelamento de pelo menos 150 voos, assim como publicado pela Aeroflap na manhã de hoje. A companhia disse que isso não tem nada haver com seu problema de sistema, já que os protestos contra o decreto de Trump ocorreram em vários aeroportos. 

Na última sexta-feira, Donald Trump assinou um decreto para impedir a entrada de cidadãos do Iraque, Irã, Iémen, Líbia, Somália, Sudão e Síria. Tudo isso no âmbito de um pacote de medidas para proteger o país de “terroristas islâmicos radicais”, de acordo com a declaração do governo americano. Só poderá entrar quem for portador de Green Card ou tiver passaporte diplomático.

Desde então vários grupos estão protestando contra o decreto, inclusive em diversos aeroportos dos Estados Unidos.

 

COMPARTILHAR